COVID-19: Madeira recebeu este ano menos 195 milhões em impostos e gastou mais 120 milhões

O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque disse hoje que, só este ano, a descida das receitas fiscais foi de menos 195 Milhões de Euros e a subida da despesa foi de mais 120 Milhões de Euros.

Miguel Albuquerque falava na Assembleia Regional, na abertura do Debate do Estado da Região.

E, peante isto, “como é recorrente ao longo da nossa história, quando os Madeirenses e Porto Santenses esperavam solidariedade dos Órgãos Centrais do Estado, receberam destes apenas desdém, arrogância e indiferença”.

Depois, enumerou as situações em que a República tem tratado a MAdeira com desdém. Desde  as“as cenas grotescas” sobre o fecho ou não do aeroporto,  a dúvida de Lisboa quanto “à constitucionalidade?!” das medidas profiláticas, a indefinição quanto às moratórias do PAEF, a relutância de Lisboa em dar um aval do Estado ao empréstimo que a Região vai contrair, poupando em 12 anos, 60 Milhões de Euros.

“É inacreditável constatar como, mesmo numa situação como a que vivemos, o ressabiamento medíocre e “partidocrático” pode continuar a prevalecer nos corredores do Poder Central, sobre o sentido de Estado, mesmo nas situações de maior gravidade e urgência”, disse.

Miguel Albuquerque assegurou, até por força da recente visita à Região de Marcelo Rebelo de Sousa, que a Madeira está disponível “para encetar todas as diligências necessárias junto de todos os Órgãos de Estado e forças partidárias, aptas a concretizar os necessários acordos políticos a nível nacional”.

“Os Madeirenses e Porto Santenses não são súbditos da República, do Estado ou de qualquer outra entidade. São cidadãos de corpo inteiro, de um Estado Democrático plural, que deve estar ao serviço de toda a comunidade nacional. Hoje, mais do que nunca, ampliar a Autonomia Política deste território apenas reforça a união entre todos os Portugueses e assegura indiscutivelmente, o desenvolvimento e progresso de Portugal”, rematou.