Melvill de Araújo apela para bom comportamento do público no Rali Vinho da Madeira

foto organização Rali (concorrente Ricardo Teodósio)

Pedro Melvill de Araújo, da organização do Rali Vinho da Madeira, salienta, numa nota hoje divulgada, que o primeiro fim-de-semana de Agosto mantém a tradição de trazer consigo esta prova automobilística, “que é, sem dúvida, o maior evento sócio-desportivo da Região Autónoma da Madeira e é também uma prova de créditos firmados”.

Esta, afirma, é “uma das estrelas que mais brilham no universo dos ralis europeus, bem como nos panoramas nacional e regional”. Considerando o rali uma prova de referência há já muitas décadas, contando habitualmente com pilotos oriundos de vários países europeus aos quais se juntam os pilotos que disputam tanto o Campeonatos de Portugal de Ralis como o Campeonato de Ralis Coral da Madeira, Melvill de Araújo realça que esta é uma competição que costuma atrair para a estrada milhares e milhares de madeirenses.

“Este ano é, mais uma vez, desafiante para a Comissão Organizadora. Com a permissão de ser já possível haver público nas estradas da nossa Ilha, voltam momentos icónicos como a prova espectáculo da Avenida do Mar, as passagens pelo Chão da Lagoa e pelo rearranjado cruzamento do Carvalhal na PEC da Ponta do Sol”, salienta.

“Os nossos espectadores são, desde sempre, exemplares no comportamento cívico e incansáveis no apoio que dão aos pilotos e à organização do rali, e é, afinal, para eles que também trabalhamos, pois se sem pilotos não há ralis, sem público não há espectáculo”, diz.

“Teremos a anteceder a Avenida do Mar, na tarde de quinta-feira, a Cerimónia de Apresentação dos concorrentes, no pódio instalado na Praça do Povo. Nos dois dias seguintes percorrerão os quatro cantos da Ilha, passando por todos os concelhos da Madeira, garantindo espectáculo e festa, uma festa controlada com todas as normas de segurança, e também sanitária, prescritas pelas Autoridades regionais, nacionais e internacionais”, destaca.

O organizador promete este ano fazer um reforço das normas de sustentabilidade ambiental, obrigatoriamente implementadas a partir do próximo ano.

“Como é habitual, faço a recomendação a todos para que assistam o rali, perto da emoção, mas longe do perigo, pedindo aos madeirenses que tenham, como sempre, um comportamento exemplar a abrilhantar esta prova que não é do Madeira, mas é da Madeira”.