JPP critica fusões arbitrárias de escolas na RAM

O JPP esteve hoje junto à Escola Básica de São Gonçalo, no Funchal, onde Paulo Alves criticou a forma como estão a ser feitas as fusões das escolas na Região, por parte da Secretaria da Educação, ao longo dos anos.

“Sabemos que haverá fusão entre três estabelecimentos de ensino e educação nesta zona: a Escola EB1/PE e Creche de São Gonçalo, Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros e a Escola EB1/PE de São Filipe”, referiu o deputado do JPP, que afirma que a mesma está a ser feita de forma “unilateral por parte da Secretaria Regional”.

Neste momento, a decisão tomada pelo executivo governativo passa pela “transferência da gestão administrativa para a Escola dos Louros, perdendo as restantes, quer a de São Gonçalo, quer a de São Filipe, a autonomia que detinham até à data”.

“Ora, estamos a falar de um exemplo, mas que se está a verificar um pouco por toda a Ilha: escolas mais novas, em boas condições, com melhor qualidade e construção mais adequada para estabelecimentos de ensino, mas que estão a ser encerradas, transferindo os alunos e profissionais para infraestruturas que não poderão proporcionar a mesma qualidade de ensino que tinham inicialmente”, criticou Paulo Alves.

O deputado do JPP lamenta a atitude da Secretaria Regional da Educação que, “sem qualquer rigor e planeamento, nem ousa dar as devidas explicações aos pais”.

“Houve solicitação de pareceres à Junta de Freguesia e à Câmara Municipal? Houve auscultação dos sindicatos? Quais as intenções da Secretaria da Educação para as infraestruturas que estão a ser encerradas?” interrogações que Paulo Alves diz “ninguém ter resposta”, mas que “são fundamentais que a Secretaria venha a público esclarecer”.