Marcelo Rebelo de Sousa saúda “exemplo de coragem” do povo da Madeira em mensagem oficial

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tornou pública uma mensagem alusiva ao Dia da Região Autónoma da Madeira, entretanto publicada na página oficial da Presidência da República na Internet.

“Oficialmente, as comemorações restringem-se à Região Autónoma, mas, em substância, esta é uma celebração de Portugal inteiro. Porque a autonomia regional, que hoje assinalamos, foi uma das mais felizes e mais frutuosas realizações do Portugal democrático. Porque a autonomia da Madeira e dos Açores é um elemento de coesão nacional, um traço de união entre os Portugueses, que une em vez de separar, que sana conflitos em vez de os fomentar”, considera. “Porque a experiência autonómica, prevista desde a versão originária da Lei Fundamental de 1976 e enriquecida em revisões constitucionais posteriores, tem sido um fcator absolutamente crucial para o desenvolvimento económico e social da Madeira e de Porto Santo e para a significativa melhoria das condições de vida das suas populações”.

“Orgulho-me de, quer como constituinte, em 1975-1976, quer como um dos responsáveis políticos pelas revisões constitucionais de 1982 e de 1997, ter-me batido desde a primeira hora pela autonomia das regiões insulares e pelos legítimos interesses e anseios de madeirenses e de açorianos”, declara o mais alto magistrado da Nação.

Marcelo Rebelo de Sousa constata que hoje é também o dia das Comunidades Madeirenses dispersas pelo mundo.

“Saúdo-as com emoção – e com o respeito devido àqueles que, pelo seu trabalho e pelo seu exemplo, engrandecem o nome de Portugal”, afirma. Por outro lado, assume que, este ano, ” Dia da Região é comemorado numa conjuntura muito singular, marcada pela adversidade e pela incerteza.A pandemia obrigou a que, ao contrário do que estava planeado, as cerimónias oficiais do Dia de Portugal não pudessem ser realizadas no Funchal e na África do Sul”.

No entanto, acrescenta Marcelo Rebelo de Sousa, “faço votos para que, no próximo ano, essa aspiração possa concretizar-se, como é de inteira justiça para todos os madeirenses e porto-santenses, nomeadamente os da diáspora sul-africana”. E termina dizendo que “neste Dia, saúdo muito calorosamente o povo da Região Autónoma da Madeira e agradeço-lhe o extraordinário exemplo de coragem e de força que têm dado à nossa Pátria comum”.