Mário Pereira participou como convidado no fórum/debate TED+CERN em Genebra

O médico madeirense Mário Pereira participou ontem, como convidado, num dos mais mediáticos debates sobre ciência, cultura e política, o TED+CERN, que se realizou na capital suíça, reunindo 14 oradores sobre os mais variado temas relacionados com a ciência e a tecnologia. A temática a que o fórum foi subordinado este ano foi o próprio futuro da humanidade, debatendo uma plêiade de questões essenciais, desde a hipótese da recriação ou destruição da Humanidade ao debate sobre as fake news como arma na nova guerra fria, o actual, eclínio do ocidente, a inteligência artificial que está a ganhar “emoções”, a genética num novo patamar de criação de novas espécies, a ciência fundamental nos próximos 100 anos, o desafio de expandir a vida humana para fora da Terra, a luta da tolerência versus segurança e suas implicações na democracia, e as ameaças que uma demografia em expansão coloca aos cuidados com o meio ambiente.

O ortopedista madeirense refere, a propósito desta participação no debate, que “uma característica da Ciência, e daqueles que se habituaram à sua linguagem, é o constante degustar da curiosidade, de recriar a visão da realidade à luz de novas provas e ideias, sempre baseada na dúvida constante”.

Afirmando que desde sempre recusou os dogmas, e aludindo à sua faceta de político para dizer que “fazer política não deve ser insípida e rotineira, nem mais ainda, ser feita sem sonho”, refere ao FN que “foi um deleite reencontrar ontem os meus amigos no CERN e ouvir 14 das mais brilhantes vozes mundiais reflectir sobre o futuro da humanidade numa conferencia TED+CERN em Genebra”

“Foi abordado o futuro da informação à luz das redes sociais, agora infestadas por fakes news como arma política e comercial, da inteligência artificial já a ganhar emoções, da genética a ultrapassar barreiras que criam perigos e oportunidades, da ameaça da demografia ao ambiente, das alterações civilizacionais que o declínio do Ocidente conduz, dos desafios das ciências fundamentais ao perscrutaremos mais profundos segredos do universo e, mais adiante, a caminhada da humanidade que fará para fora da esfera em que vivemos”.