Governo de Costa usa “aparelho do Estado para fins partidários” e TAP “dedica-se aos cancelamentos”, críticas contundentes do PSD-M

Comissao PSD B
A Comissão Política do PSD-M critica o Governo de Costa e a TAP.

A Comissão Política do PSD-Madeira reuniu esta terça-feira com objetivos claros que reforçam posições já assumidas enquanto Governo na Região. Por um lado, os “feitos” já falados no conceito da governação, com o “ferry” e o avião de combate aos incêndios com custos assumidos pela Madeira, a representarem um enfoque desta reunião, bem como o que já tem sido dito por diversas vezes, que a Região está em crescimento económico há 58 meses consecutivos.

De resto, o esperado, críticas fortes ao Governo da República, com o PSD a evidenciar o que já vem sendo observado nos últimos tempos, o endurecimento do discurso, tanto d Governo Regional, mas também do partido que o suporta. Daí que Fernanda Cardoso, a porta voz desta reunião, tenha surgido com esta declaração: “O Governo da Geringonça, da responsabilidade do PS, do BE e do PCP, usa a solidariedade e o aparelho do Estado como ferramentas de uma estratégia político-partidária cujos objetivos demonstram um profundo desprezo pelos madeirenses e pelo Governo Regional, órgão legitimamente eleito pelas populações.”

Tudo isto surge, também, na sequência da “retirada das ajudas prometidas pelo Governo da República para os incêndios de agosto de 2016, no valor de 30,5 milhões de euros. Os sociais-democratas lamentam que “o primeiro-ministro continue a tratar os madeirenses como portugueses de segunda”. O outro factor, o político-partidário, aparece com um contexto ainda distante no tempo, as eleições regionais de 2019, mas muito próximas em matéria de estratégia, sabendo-se aquilo que se desenha no horizonte e que se começa a ver no terreno, entre PSD e PS.

A TAP foi outro alvo da reunião “laranja”, lamentando o comportamento da companhia. “Para além dos preços exorbitantes que pratica nas ligações aéreas com a Região, a TAP dedica-se agora à atividade frequente do cancelamento de voos, deixando passageiros em desespero e prejudicando, sem qualquer escrúpulo, a Madeira e a sua economia”.

No mês em que se assinalou o Dia da Região e das Comunidades Madeirenses, pela primeira vez assinalado na Ilha do Porto Santo, os sociais-democratas saudaram todos os conterrâneos, os que vivem na Madeira e no Porto-Santo e os que estão espalhados pela Diáspora. “A eles se deve, também, todo o progresso alcançado pela nossa Região, potenciado pela conquista da Autonomia e da afirmação da Madeira na Europa e no Mundo”, frisou

Fernanda Cardoso lembrou que a grande Festa do Chão da Lagoa, marcada para o próximo dia 29 de julho, contará com os artistas David Carreira, Miro Freitas, Galáxia, João Quintino e outros grupos e artistas de todos os concelhos da Região.