Casas evacuadas por precaução no sítio do Pinheiro, Serra de Água, várias corporações de bombeiros no local

DSC_0249
O fogo desceu há pouco a encosta, no sítio do Pinheiro, Serra de Água, obrigando à evacuação de algumas casas, como medida de precaução. Esta imagem, obtida na sexta-feira, reporta-se a focos de incêndio que então já eram visíveis na Serra de Água.

Várias casas foram há pouco evacuadas no sítio do Pinheiro, Serra de Água, na Ribeira Brava, por motivos de precaução em virtude da proximidade dos fogos que já alguns dias atingem aquela zona e que tiveram início na ribeira da Tabua.

O comandante dos Bombeiros da Ribeira Brava, Sidónio Pio, confirmou ao Funchal Notícias a existência de algumas pessoas, sobretudo idosas, retiradas de algumas residências, mas apenas como medida de precaução e não propriamente porque a situação tenha vindo a agravar-se muito relativamente ao cenário que já vem acontecendo e que mobilizou várias corporações de bombeiros da Região. O comandante remeteu mais pormenores para a informação veiculada pela Proteção Civil Regional, sublinhando no entanto que “a situação, neste momento, está controlada” e que “os bombeiros estão no terreno para intervir de acordo com as necessidades”.

Recorde-se que o último balanço da Proteção Civil é das 19.30 horas de ontem e referia a mobilização, no teatro de operações do incêndio florestal da Ribeira da Tabua,  “sete (7) Corpos de Bombeiros  – Bombeiros Voluntários da Ribeira Brava, Bombeiros Voluntários Madeirenses, Bombeiros Voluntários da Calheta, Corpo de Bombeiros de Sapadores do Funchal, Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, Bombeiros Municipais de Santa Cruz e Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos – e o Serviço Regional de Proteção Civil através do Posto de Comando Operacional. Esta operação também contou com a colaboração do Instituto das Florestas e Conservação da Natureza e da equipa GIPS da GNR. O número atual de meios no teatro de operações totalizam 24 operacionais distribuídos pelas 9 viaturas empenhadas.

Na altura da informação, o Serviço Regional de Proteção Civil dava conta de que os bombeiros mantinham vigilância na zona das Furnas, Tabua e Serra de Água, referindo que “as situações referidas encontram-se devidamente identificadas, circunscritas e em fase de resolução”, informando ainda que “não existiram até ao momento quaiquer danos humanos e materiais registados”.

Entretanto, como o FN soube, o fogo desceu a encosta e houve a preocupação de controlar o avanço das chamas e a eventualidade das mesmas poderem colocar em perigo algumas residências, fazendo com que fosse decidido retirar alguns idosos como medida preventiva.