Rubina Leal critica CMF por corte “indiscriminado” de árvores

A candidata social-democrata à Câmara Municipal do Funchal, Rubina Leal, afirma não entender as razões do corte indiscriminado de árvores que a edilidade funchalense tem, alegadamente, feito um pouco por toda a urbe. Vai daí, acusou o executivo de Paulo Cafôfo de “irresponsabilidade”.

Rubina Leal expressou estas opiniões durante uma visita à freguesia do Imaculado Coração de Maria. “Ou a Câmara tinha estudos do estado das árvores e já deveria ter efectuada a intervenção necessária, evitando determinadas situações, ou anda sem critério a abater o património arbóreo”.

Ora, se existia um levantamento da necessidade de intervenção de corte e abate de árvores, “não se compreende porque é que não houve uma intervenção atempada e adequada”. A candidata refere que este é mais um exemplo da “irresponsabilidade” e da “incompetência” da actual gestão autárquica, critica.

Se anda sem critério a abater património arbóreo isso é revelador de falta de planeamento e demonstra a reacção por impulso deste executivo camarário. “É absolutamente lamentável este corte de árvores de forma indiscriminada e sem qualquer critério “, afirmou, dizendo que todo este trabalho está a ser feito sem qualquer controlo ou supervisão técnica.