Como votaram as Câmaras desde 1976?: Câmara de Lobos sempre foi PSD embora com menos força

O concelho de Câmara de Lobos sempre foi governado pelo PSD desde 1976 embora a bandeira ‘laranja’ tenha perdido tonalidade nas últimas duas eleições Autárquicas de 2009 e 2013.

As forças da oposição nunca se aproximaram de votações que lhe permitissem almejar a governação.

Neste que é um dos concelhos mais populosos e com mais eleitorado jovem da Madeira, o PSD sempre liderou os destinos da autarquia com confortáveis maiorias absolutas, à exceção de 2009 e 2013.

Efectivamente, as únicas percentagens abaixo dos 50% foram em 2009 e 2013, respectivamente, 46% e 39,9%.

De todas as governações ‘laranja’, o melhor resultado do PSD foi em 1985 (78,3%) e o pior resultado, mantendo a Câmara, precisamente em 2013 (39,9%).

O PS obteve o melhor resultado de sempre em Câmara de Lobos em 1997 (24,3%). O pior resultado dos socialistas tinha sido em 1985 (8,5%).

O CDS obteve excelentes resultados em 1976, 2009 e 2013. O seu melhor resultado foi nas primeiras eleições Autárquicas livres de 1976 (21,7%). O pior resultado do CDS foi em 1985 (4,6%).

Em 2013, para além da coligação ‘natural’ denominada CDU, concorreu em Câmara de Lobos uma ‘geringonça’ (PS, PTP, PND, BE) que obteve ainda menos votos do que o MPT sozinho (13,9%).

Efectivamente, em 2009 emergiu uma força política, o MPT, que obteve logo 12,2% do eleitorado. Votação que solidificou na eleição seguinte de 2013 (14,2), conseguindo eleger um vereador.

Em 1979 e 1985 o PCTP/MRPP também concorreu em Câmara de Lobos mas obteve, respectivamente, 1,0% e 0,9% dos votos.

Em 2009 concorreu o extinto PND (5,6%), em 1993 o PSN (1,7%) e, em 2013, o PAN (3,9)% do eleitorado.

PCP/APU/FEPU e BE/UDP sempre obtiveram em Câmara de Lobos percentagens eleitorais entre os 1,4% e os 9,8%, esta última alcançada nas Autárquicas de 1993 pela CDU.

Para a Assembleia Municipal de Câmara de Lobos não existe propriamente um decalque da votação para a Câmara mas anda lá perto.

Em Câmara de Lobos, o histórico de eleições, demonstra que quase todos os partidos já conseguiram eleger um ou mais dos 21 deputados municipais.

PND e PAN também o conseguiram, respectivamente, em 2009 e 2013.

Em 1979 e 1985, o PCTP/MRPP havia concorrido à Câmara mas não apresentou listas à Assembleia Municipal.