MPT sugere estacionamento… na Fundoa, dizendo que “são 15 minutos a pé”

O Plano Estratégico de Transportes da RAM para o período 2021 a 2027 (PIETRAM 2021-2027) propõe “Adoptar políticas de estacionamento nos principais centros urbanos que potenciem uma maior utilização dos TP e modos suaves”, sublinha o MPT, em comunicado.

“Isto significa que os parques estacionamento deverão ser localizados numa zona periférica da cidade pouco declivosa e com muitos transportes públicos”, entende o partido. 

O MPT é contra a execução de um parque de estacionamento na praça do Município, devido ao risco de afectar negativamente o património edificado aí existente: edifício da Câmara Municipal, Colégio dos Jesuítas e Museu de Arte Sacra.

Assim, caso seja para levar por diante a intenção de construir parques de estacionamento subterrâneos no Funchal, o MPT sugere as seguintes localizações: Parque Santa Catarina, Campo do Liceu, Jardim de Santa Luzia, e o preferido, na Fundoa: que incluiria o Departamento de Ambiente da CMF, as antigas instalações da Madeira Bloco, a Horários do Funchal e as instalações do Governo Regional/ Hidráulica.

Na localização preferida, diz o MPT, para além de poder ser possível construir em profundidade também poderá ser possível construir em altura, e acondicionar os terminais de autocarros das empresas de transportes de passageiros. Nesta localização deverão passar transportes públicos de 10 em 10 minutos para o centro do Funchal (i.e., uma linha de alta intensidade).

O acesso pedonal a esta localização preferida – Fundoa – é pouco declivoso, sendo expectável que a duração de uma caminhada entre o largo do município e a Fundoa dure cerca de 15 minutos, afirma-se.