CDU deixa sapatos no Largo dos Varadouros simbolizando os “expulsos” da cidade

A CDU realizou uma acção política esta manhã no Largo dos Varadouros, junto às Portas da Cidade, denunciando “a crescente segregação social imposta aos Funchalenses, devido às políticas erradas seguidas por PSD e PS”.

No local, a deputada municipal Herlanda Amado referiu  que “o direito à Cidade deve ser exigido por todos quantos vivem no Funchal. Não é aceitável que aos especuladores imobiliários tudo seja permitido, e na base de uma suposta reabilitação urbana, usem mecanismos que vão expulsando os funchalenses do centro da Cidade”.

A responsável prosseguiu para criticar “os processos de degradação, a falta de rigor e de exigência na preservação dos centros históricos por parte das entidades regionais, fazem com que poucos se sintam incluídos no Funchal “resort”, construído por PSD e PS, onde apenas alguns usufruem da Cidade em plenitude, enquanto outros são expulsos dos seus lugares de identidade, vivendo na Cidade “gueto”.

A cidade, disse,  é cada vez mais habitada por quem tem mais poder económico, enquanto que a maioria vai sendo pontapeado para as periferias do concelho. Enquanto uns, poucos, prosperam no seu “resort”, tantos outros empobrecem, cada vez mais remetidos para a cidade “gueto”.

Ora, o Funchal “não pode ser só para ricos! A Cidade não pode ser apenas para os que nos visitam, mas deve ser pensada e organizada para quem cá vive!”, insistiu.

Nas Portas da Cidade foi realizada uma instalação: 100 pares de sapatos, representando os milhares que foram sendo expulsos da cidade. Herlanda Amado afirmou que «foram colocados estes sapatos vazios de gente, porque assim se tem tornado o Funchal, vazio das suas gentes, da sua identidade e do seu património identitário”.