Albuquerque satisfeito com renovação da Estação Zootécnica do Porto Moniz

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visitou hoje a Estação Zootécnica no Porto Moniz, concluindo que a requalificação da mesma, designada “Dr. Carlos Dória” contribuirá decisivamente para a investigação e educação. Considerou que se reveste até de actratividade turística.
Ali desenvolve-se, realçou, “investigação científica na área da Zoologia”, essencial fundamental para desenvolver a agropecuária na Madeira.
“Esta estação foi edificada nos anos 50 e foi agora totalmente requalificada. É um espaço muito bonito, muito agradável e é altamente pedagógico, tendo todas as condições para virem cá as escolas”, declarou.
A obra que foi agora concluída, sob iniciativa da Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, contemplou vários investimentos, como a limpeza de matos e controlo de vegetação espontânea nos terrenos da Estação, onde foram plantadas 5000 plantas indígenas: 2000 Faias das ilhas, 1000 Loureiros e 2000 – Folhados.
O investimento inclui ainda a instalação de vedação em rede ovelheira, numa extensão de 3683 metros, com a colocação de 8 portões, bem como o melhoramento e instalação de pastagens bio diversas em 19 hectares.
No projecto foi ainda contemplada a instalação de apiários, incluindo colmeias e suporte.
Procedeu-se ainda à beneficiação de sala de apoio à apicultura e adquiriram equipamentos para apicultor.
Destaque-se ainda o investimento em estruturas funcionais diretamente relacionadas com a instauração de um sistema agroflorestal: aquisição de bebedouros de pasto para bovinos e criação de abrigo para animais em pasto, de abrigo principal, de abrigo para animais de pequeno porte, de fossa séptica para chorume, de cais de carga e nitreira, de estação de compostagem e de um armazém para máquinas e equipamentos; melhorou-se também a unidade de apoio aos trabalhadores e renovou-se a rede de combate a incêndios e rega de pasto.
A obra contemplou igualmente a beneficiação de rede viária numa extensão de 2.331 metros, a construção de rede viária (acesso principal com a colocação de um portão – 860m, caminho florestal – 753m, acesso à estação de compostagem – 200m) e a compra de máquinas e equipamentos.
Há a contabilizar igualmente a recuperação total dos três prédios que compõem a estação, refere o Governo Regional.