Autarquia de Câmara de Lobos reuniu com os empresários da baixa

A Câmara Municipal de Câmara de Lobos reuniu-se com os empresários da baixa da cidade para falar sobre os eventuais constrangimentos que podem vir a surgir em virtude do início das obras de requalificação da frente mar.

O executivo municipal recebeu, pois, no Salão Nobre da autarquia os empresários da baixa citadina, para uma sessão de esclarecimento e sensibilização sobre as recém-iniciadas obras de requalificação da frente-mar. Trata-se de uma intervenção que engloba o perímetro urbano da frente marítima, compreendida entre a entrada Este da cidade, junto à ponte da Ribeira dos Socorridos, terminando no limite oposto, junto à Praça da Autonomia e Largo de São Sebastião.

O edil Pedro Coelho disse aos empresários que a escolha de iniciar esta grande intervenção pelo jardim do Ilhéu teve em conta o facto de este ser um período em que se verifica uma retoma do movimento na baixa da cidade, decorrente do aligeirar das restrições decorrentes da pandemia e do facto do concelho ser actualmente considerado de baixo risco para a transmissão da COVID-19.

Este aumento de movimento tem vindo a ter impactos bastante positivos a nível da facturação dos estabelecimentos comerciais da baixa da cidade, nomeadamente ao nível da restauração e similares que têm sido bastante procurados, assegura a Câmara.

Na sequência do período de confinamento que levou a uma quebra acentuada da facturação da generalidade dos estabelecimentos, a autarquia apoiou os empresários da baixa, e de todo o concelho, através do Programa de Apoio aos Agentes Económicos que procurou atenuar as consequências negativas resultantes da queda abruta da actividade económica. Como tal, o Município não quis coarctar os possíveis ganhos decorrentes desta dinâmica positiva que agora se verifica, pelo que iniciou as obras numa zona que não causa grandes constrangimentos a visitantes e comerciantes, diz a autarquia.

No entanto, os presentes foram sensibilizados para o facto de que com o avançar da intervenção tais constrangimentos irão surgir, mas o município terá sempre o cuidado de minimizar o seu impacto, procurando realizar as obras necessárias com a maior brevidade possível.

Outro dos assuntos abordados nesta reunião prendeu-se com a correcta utilização das “Eco-Ilhas”, recentemente instaladas pela ARM – Aguas e resíduos da Madeira S.A., na zona do parque de estacionamento do varadouro. Os presentes foram sensibilizados para a correcta acomodação, em sacos fechados, dos detritos produzidos pelos seus estabelecimentos, para que não se produzam odores desagradáveis que prejudicam de forma directa os seus próprios negócios. Os empresários pediram que a recolha fosse reforçada, tendo o executivo assumido o compromisso de levar a situação à empresa concessionária para que fosse efectuada recolha também ao sábado.

Os empresários presentes lançaram ainda o alerta para o ressurgimento de “arrumadores” no parque de estacionamento da baía que incomodam quem visita, tendo sido informados que a autarquia já solicitou o reforço do patrulhamento da zona à PSP.