CMF promove campanha para ajudar comerciantes dos mercados municipais

A Câmara Municipal do Funchal, anunciou que vai promover, através da Divisão de Mercados, nos dias 13 e 14 de Agosto, próxima sexta-feira e sábado, no Mercado dos Lavradores, uma campanha de incentivo ao consumo intitulada “Por 30, oferecemos 5”. Por cada 30 euros de compras realizadas, o Município vai oferecer um voucher de 5€ que pode ser usado no Mercado dos Lavradores ou no Mercado da Penteada.

O Mercado dos Lavradores, refira-se, foi recentemente notícia pelas piores razões, uma vez que um canal de televisão germânico denunciou preços absurdos, frutas adulteradas com açúcar e outras formas de engano premeditado a turistas por parte de alguns comerciantes.

Mas o presidente da CMF, Miguel Gouveia, refere que “esta é mais uma iniciativa da CMF que visa auxiliar os comerciantes dos Mercados Municipais a fazer face aos constrangimentos provocados pela crise pandémica, incentivando a população para que visitem estes espaços e consumam os produtos regionais.”

Para usufruir desta campanha o cliente terá de efetuar uma compra única num espaço comercial do Mercado dos Lavradores e, como referido anteriormente, por cada 30€ em compras, recebe um voucher de 5€ para utilizar nos espaços comerciais aderentes (Lavradores ou Penteada). Para levantar o voucher o cliente deve dirigir-se aos Serviços Administrativos do Mercado e apresentar a respetiva fatura da compra para validação. A campanha é válida até término dos vouchers.

O Município do Funchal tem desenvolvido ao longo deste ano diversas campanhas de incentivo ao consumo local, como são disso exemplo a iniciativa “Ser Local”, a oferta de vouchers para consumo nas lojas do comércio local, as sessões de showcookings para promoção do produto local, as várias feiras temáticas, entre outras, enumera a Câmara.

Miguel Gouveia termina acrescentando que “o Executivo camarário vai continuar a trabalhar para mitigar todas as dificuldades que o comércio local atravessa, promovendo os Mercados Municipais como um espaço de eleição para a atividade comercial (…)”