Novo livro de Ana Teresa Pereira já disponível no site da “Relógio d’Água”; novos projectos na forja

A obra “Como se o Mundo Existisse”, de Ana Teresa Pereira, está já disponível na editora, no endereço electrónico https://relogiodagua.pt/ e já está, também, prestes a chegar às livrarias. O Funchal Notícias fez referência a este novo livro já em Abril, tendo esclarecido junto da própria autora que se trata de um volume que reúne contos e prefácios. Adiantávamos também que Ana Teresa Pereira iria em breve publicar, antes do Verão, um conto policial numa antologia americana. “O conto é uma aventura inédita de Sherlock Holmes”, declarou-nos a notável escritora madeirense que soube afirmar-se a nível nacional e mesmo internacional, como com o prémio “Oceanos”, que arrebatou em 2017, com o romance “Karen”.
Entretanto, em declarações à Agência Lusa, Ana Teresa Pereira acrescentou mais alguns pormenores: “Retrospetivamente, tenho a impressão de que este livro se formou sozinho”, disse.  “‘As Estátuas’ e ‘Os Monstros’ são contos que reescrevi mil vezes e que, no fundo, me metem medo”, acrescentou.

Falando da forma como as suas criações literárias se articulam, declarou: ““Era como pintar várias versões do mesmo quadro; os elementos eram os mesmos: os teatros vazios, as casas isoladas, o nevoeiro, a urze, as rosas”, comentou.

O editor da Relógio d’Água, Francisco Vale, declarou por seu turno tratar-se de um livro que “reúne numa primeira parte vários contos da autora” e na segunda parte “integra ensaios breves sobre obras de diferentes autores”.

Outros textos de “Como se o mundo existisse” são uma “série de prefácios” que encontrou, uns publicados, outros não, e que percebeu “que faziam parte do livro”, alegou Ana Teresa Pereira.

A escritora abordou também um conto incluído nesta coletânea, chamado “The Adventure of the Red Dress”, que integrará ainda parte de uma antologia intitulada “The Return of Sherlock Holmes – Further Extraordinary Tales of the Famous Sleuth”, de Maxim Jakubowski, para publicar em Setembro deste ano pela editora independente Mango, da Florida, EUA.

Outro conto – “What I Don’t Understand is the Music” – deverá ser incluído numa antologia da mesma editora com o título “Femmes Fatales”.

Ana Teresa Pereira disse ainda à Lusa que está actualmente a escrever um conto policial, intitulado “Remind me Again”.

Sobre ela, comentou Jorge Silva Melo: «Que neblina é esta que nunca levanta nas histórias sem fim de Ana Teresa Pereira, que abismos (de paixão?)? E, no entanto, são nítidos os contornos, nada se esfuma, vemos tudo, as cores vibrantes dos vestidos, as jarras, corredores, portas, escadas, portões, jardins, labirintos. Que espelhos são estes, sempre lá, mal se abrem portas, nos camarins, nos quartos alugados, nos hotéis? Que teatros são estes onde se ensaia? Que homens são estes, estátuas, monstros? Leio sem parar estas histórias misteriosas (são contos? apontamentos?), são uma janela sempre. Aqui, com Ana Teresa Pereira, ler é ver, voltar a ver, voltar a ler.»
«Como se o Mundo Existisse» e outras obras de Ana Teresa Pereira são obras que podem ser encontradas em: https://relogiodagua.pt/autor/ana-teresa-pereira/