CMF aprova diversos apoios a associações e entidades

Hoje, na Câmara Municipal do Funchal, a reunião de câmara realizou-se por videoconferência, tendo sido tomadas seis deliberações, a apoiar outras tantas entidades de cariz social, desportivo ou cultural na cidade. De acordo com o edil, Miguel Gouveia, são apoios que totalizam 86 mil euros. Gouveia salienta o apoio para a aquisição de uma “videowall” para o complexo de piscinas do Clube Naval do Funchal, na Nazaré. O novo equipamento permitirá a esta instalação desportiva que tem mais de 200 mil utentes por ano poder ter uma projecção a nível de provas nacionais e internacionais.

O presidente da CMF salientou ainda o apoio de cariz social, às obras de remodelação e beneficiação do parque do infantário situado na Fundação Santa Luísa de Marillac, no âmbito de um outro protocolo de colaboração.

Foram ainda prestados quatro outros apoios a diferentes entidades, como o grupo de Folclore Monteverde e a Associação Uámãe, o primeiro para a criação de uma gala internacional de etnografia e folclore Manuel Ferreira Pio e o segundo para a criação de um vídeo para apresentação na XVII Bienal de Veneza de arquitectura, onde participará um arquitecto madeirense, informou.

Dois outros apoios foram ainda concedidos, para a Associação de Planeamento de Família da Madeira, e outro para a Associação de Natação da Madeira, um apoio para a realização do IPC World Paraswimming, um open europeu que permitirá também a qualificação para os Jogos Olímpicos.

Foi ainda aprovada nesta reunião de câmara uma alteração ao programa municipal de ocupação em contexto de trabalho, que representou no último ano um investimento de 400 mil euros em formação a desempregados de longa duração.

A CMF, disse Miguel Silva Gouveia, face ao aumento do desemprego, procurou alterar o regulamento para incluir pessoas que já tenham feito um programa de formação, e integrado o mercado de trabalho, se voltarem à situação de desempregados. “É uma forma de apoiar, numa altura difícil”. A alteração será submetida à Assembleia Municipal.

Finalmente, enumerou, há a destacar a utilização que a CMF fará do espaço público municipal por parte das farmácias do concelho, para que as mesmas possam, no âmbito do protocolo que já foi tornado público, entre a Associação Nacional de Farmácias e o Governo Regional da Madeira, instalem locais de testagem, caso as farmácias assim o pretendam. “É uma forma de o Município se associar a este desígnio colectivo, que é ultrapassar a pandemia, a crise de saúde pública”.