Câmara de Santa Cruz queixa-se de facebook “pirateado” por motivos políticos

A Câmara Municipal de Santa Cruz veio tornar público que tem já os seus juristas a trabalharem no sentido de apresentar queixa na Polícia Judiciária com o objectivo de denunciar o bloqueio da página de Facebook institucional da autarquia.
“Há mais de uma semana que o Município está impedido de comunicar com os seus munícipes pelas redes sociais, uma ferramenta que tem sido um meio privilegiado de comunicação institucional”, refere a CMSC.
“O Município acredita que o problema actual, que tem sido recorrente sempre em ano de eleições, prende-se com a existência de páginas antigas, cujas permissões de acesso sempre foram negadas pelos anteriores administradores dessas páginas desde que em 2013 o novo executivo tomou posse”, diz a autarquia.
A Câmara de Santa Cruz não tem dúvida de que os ataques e alterações não autorizadas à sua página institucional tem razões políticas.
No ponto de ordem do presidente Filipe Sousa, que todos os domingos é publicado na página institucional do Município, hoje aborda-se essa questão.

O mesmo reza assim:

“Bom dia a todos e a todas!

Lamentavelmente, este Ponto de Ordem não vai ser divulgado na página institucional que, como acontece em todos os anos em que há eleições, voltou a ser pirateada. Tudo porque os anteriores Senhores, que ainda se julgam donos disto tudo, levaram consigo os acessos à página institucional e nunca os devolveram ou revelaram. Assim, podem parar com o direito à divulgação institucional com os cidadãos de Santa Cruz quando lhes convém. Mas já estamos a tentar resolver estas questões em sede própria, e que os responsáveis pelo atentado à liberdade fiquem sabendo que informaticamente também deixam rasto.

Infelizmente é isto que temos. Isto e muito mais. Enquanto bloqueiam a informação institucional num desdobrar de acusações via redes sociais, atacando de forma vil a mim é a minha equipa, aos meus colaboradores diretos e até à minha família.

E depois, numa semana em que nos limitaram a nossa liberdade de informação, andam por aí num afã de divulgar mentiras. Por acaso (e claro que não é por acaso) numa semana em que um barómetro de popularidade política coloca um presidente de Santa Cruz num terceiro lugar  do pódio e esse mesmo presidente no lugar cimeiro do índice de satisfação da população relativamente aos autarcas.

Mas essa gente mesquinha que fique sabendo que eu olho para aquele barómetro e a única coisa que sinto não é vaidade pessoal, mas vaidade da minha terra, orgulho de pertencer a este concelho. Um concelho que apenas há oito ano era conhecido por ter credores à porta, por demorar três anos a pagar as contas, por estar endividado ao ponto de correr o risco de fechar a porta. E é esse concelho que em apenas oito anos salta para o primeiro lugar do reconhecimento do trabalho autárquico e para o terceiro lugar da popularidade política logo a seguir de um secretário regional e a um presidente do Governo.

Sei que é isto que dói muito a quem desgraçou este concelho e que agora quer regressar a toda a força, para se sentar em cima do conquistado e voltar a instaurar uma política de privilégio aos seus, uma política sem lei, uma política de costas voltadas para o povo”.