CDU ausculta populações para o seu manifesto autárquico

A CDU iniciou este fim de semana o processo de construção do seu “Manifesto Autárquico” para o concelho do Funchal, através de um processo de auscultação às populações sobre quais deverão ser os vectores prioritários para um novo rumo para o desenvolvimento local e regional.
Seguindo uma metodologia participativa, através do contacto directo com diferentes localidades e populações de vários sítios da cidade do Funchal, como disse Edgar Silva, Coordenador Regional, “a CDU está a realizar um trabalho de ouvidoria, escutando e valorizando a opinião dos cidadãos”.
A CDU pretende dar voz ao povo, denunciando profundas desigualdades sociais e territoriais que marcam a cidade, “(…) queremos assumir os compromissos concretos e definir as linhas de acção capazes de operar uma viragem profunda no sentido do progresso e da justiça social”, refere uma nota.
A CDU inicia, deste modo, nas zonas altas e super-altas do Funchal, designadamente, na freguesia de Santo António, um processo de construção do “Manifesto Autárquico” que deverá ser ultimado no Encontro Regional a ter lugar no próximo mês de Junho. Nessa oportunidade  deverão também ser apresentados os candidatos da CDU aos diferentes órgãos autárquicos, refere uma informação às Redacções.
Com esta iniciativa, como afirmou Edgar Silva, “a CDU dá voz ao povo que perdeu poder reivindicativo no Funchal, dá a palavra a milhares de pessoas esquecidas nas periferias e ultraperiferias da cidade. Por esta via, a CDU valoriza as opiniões, os contributos de milhares de pessoas que no Funchal clamam por justiça social, num concelho onde crescem as desigualdades sociais, onde mais se agrava o empobrecimento. Nestes lugares, e com o povo do Funchal a CDU quer afirmar que não estamos condenados às velhas políticas que, quer com o PSD, quer com o PS, semearam tanta desesperança e impuseram tamanhas injustiças”.