CMF descerrou marco alusivo à primeira travessia aérea Lisboa-Funchal

O presidente da CMF, Miguel Gouveia, descerrou, esta manhã, no jardim da Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses, um marco comemorativo do Centenário da Primeira Travessia Aérea- Lisboa- Funchal.

“Instalámos este marco comemorativo dos 100 anos desta travessia precisamente em frente ao local onde o primeiro hidroavião amarou no Porto do Funchal, um momento épico que ajudou a fazer com que a Madeira se abrisse ao mundo no novo século. Para além de uma forma de perpetuar esta efeméride, este é também um convite à curiosidade de todos madeirenses, e de todos aqueles que nos visitam, para que explorem e fiquem a conhecer um pouco mais da nossa história”, declarou na ocasião o edil.

A 22 de Março de 1921, o hidroavião Felixstowe F.3, de fabrico britânico, comandado pelo capitão-tenente Sacadura Cabral e pelo capitão-de-mar-e-guerra Gago Coutinho, realizou a primeira travessia aérea entre o território continental, nomeadamente Lisboa, e o Funchal.

“As iniciativas inseridas nas comemorações do centenário terminam hoje com o descerrar deste marco, mas a exposição que ilustra este acontecimento e que conta com diversos elementos dessa viagem, como o hélice original do hidroavião, os casacos, óculos e luvas dos pilotos, entre outros documentos e fotos, continua patente no Átrio da Câmara Municipal do Funchal e pode ser visitada até ao próximo dia 22 de abril”, acrescentou o autarca.