Alunos do Campanário participaram na 21ª Festa do Cinema Francês

As turmas de 7º A e B e de 9ºs A, B e C da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Cónego João Jacinto Gonçalves de Andrade, no Campanário, Madeira ,realizaram uma visita de estudo/actividade escolar no âmbito da participação na 21ª Festa do Cinema Francês, um evento francófono de cinematografia em Portugal e incluído também  no projeto Cinelíngua Francesa promovido pelo “Institut Français au Portugal” a fim de utilizar o cinema como um instrumento de aprendizagem da língua francesa, proporcionar um momento de encontro entre as culturas francesa, portuguesa e outras e indo ao encontro do Projecto Educativo de Escola, nomeadamente nos objetivos “Implementar e desenvolver a missão, a visão e os valores da escola”, “Melhorar os resultados académicos dos alunos”, “Aumentar práticas colaborativas e cooperativas”, Melhorar o relacionamento entre os diferentes atores escolares” e “Fortalecer a relação interpessoal escola/comunidade”, refere uma nota.

Os alunos visualizaram o filme “Fahim”, de Pierre-Martin François-Laval.  “A actividade foi concretizada com sucesso, com novas aprendizagens na temática do cinema e no campo lexical do cinema. Esta atividade de múltiplas aprendizagens, de incrementação de numerosas literacias e fora do contexto de sala de aula foi muito enriquecedora para a melhoria das suas aprendizagens e bastante do agrado dos alunos porque eles gostam muito de ver filmes, de comédias ( e neste caso também de drama) franceses porque já estão habituados a ver filmes franceses em contexto de escola na minha disciplina de Francês;  de ir ao cinema na cidade do Funchal porque são alunos oriundos de uma zona rural; proporcionou o fortalecimento  também das relações interpessoais e demonstraram um grande apreço por participarem na 21ª Festa do Cinema Francês, um evento francófono de cinematografia em Portugal e o projecto Cinelíngua Francesa”, refere uma nota. “Neste, referiram que aprenderam muito vocabulário, expressões do francês familiar e alguns disseram que têm mesmo de aprender francês cada vez mais a língua porque aprendem uma cultura, abre as portas para o mundo para outros países e para pessoas diferentes e em particular para o campo do trabalho.”.