Foram concluídas as obras de consolidação dos arcos do Salão Nobre da ALRAM

O Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Madeira foi alvo de obras de consolidação dos arcos de cantaria com vista a reforçar a segurança do espaço, informa uma nota parlamentar.

O sismo do dia 7 de Março, deste ano, motivou um pedido de vistoria ao Laboratório Regional de Engenharia Civil (LREC), que não detectou estragos provocados pelo terramoto, mas recomentou o tratamento dos danos diagnosticados em 2010, nos arcos de cantaria.

De acordo com o LREC “as patologias observadas nestes elementos estruturais, principalmente nos arcos e pilares de cantaria do Salão Nobre são antigas e resultam da sua degradação de natureza física e mecânica, que ao longo do tempo se manifestam em edifícios antigos”.

Os trabalhos realizados implicaram a “retiradas das zonas de delaminação”, a “reconstituição com pedra de cantaria das zonas removidas” e a “colagem das zonas destacadas”.

Devido ao perigo de queda de material, o Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Madeira esteve interdito aos espectáculos que pudessem provocar vibrações excessivas, tendo mesmo obrigado ao cancelamento de todos os espectáculos agendados pela Orquestra Clássica da Madeira.

Com a conclusão das obras, este espaço multiusos já pode voltar a receber os eventos parlamentares, culturais e musicais.

A Assembleia Legislativa da Madeira é composta por duas alas: uma recente, constituída por um prédio construído de raiz nos anos 80 do século XX, outra antiga, que albergou a antiga Alfândega do Funchal, um imóvel com cerca de 500 anos, onde se localiza o Salão Nobre, outrora sala do despacho da Alfândega.