José Prada diz que por culpa de Lisboa, Madeira pode ser prejudicada se Reino Unido considerar Portugal destino de férias não seguro

Por causa da COVID-19, o Reino Unido deverá excluir Portugal da lista de destinos seguros para férias.

O deputado e secretário-geral do PSD-M, José Prada já reagiu a esta possibilidade.

“Andavam os socialistas de lá e de cá a criticar a decisão (não sei bem se no seu timming se na sua publicitação) do Governo Regional de exigir teste PCR negativo com validade inferior a 72 horas para maiores de 12 anos, à chegada aos aeroportos regionais, para evitar isolamento, porque, afirmavam, o “turismo seria prejudicado”.
Testes que, relembro, podem ser feitos gratuitamente em Lisboa e no Porto, em vez de fazê-los aqui à chegada.

Andavam entretidos nessa crítica sem sequer tentarem perceber que este seria um incómodo perfeitamente aceitável a que ficariam sujeitos todos aqueles que gostariam de visitar a Madeira, para diminuir ao máximo o risco exagerado de contágios de Covid-19 na população local quando as operações áreas retomassem.

E agora como é? Como é que encaram a decisão mais que provável do Governo do Reino Unido de continuar a impor quarentena obrigatória a quem regressa de Portugal (incluindo da Madeira) para o Reino Unido? O que dizer de Portugal vir a ser alvo deste tratamento, ao contrário do que sucederá, por exemplo, com os nossos concorrentes, entre os quais Espanha e suas ilhas?”, pergunta José Prada.

“Perguntem aos hoteleiros se os testes eram um problema ou se o problema – e dos graves – é agora! Perguntem se não foi agora que as reservas voltaram a parar, ao contrário dos cancelamentos, que aumentaram!

Sejam sérios. Uma eventual limitação associada ao teste é mínima quando comparada com a catástrofe que vem aí, se o Reino Unido, como tudo indica, não criar um corredor sanitário com Portugal, por causa dos resultados pandémicos que temos tido recentemente. Pelo menos, nos parâmetros da dupla Costa & Marcelo!!!”, revela.

“Lá fora, olham para os números em Portugal de forma mais objectiva, sem a visão idílica do mais recente par de nubentes da política portuguesa! Seja qual for a perspectiva – e não nos enganem, alegando que testam mais, pois o ratio de Portugal de contágio por teste realizado é dos piores da Europa, quase o triplo dos dos nossos vizinhos, 2,9% versus 1,1% https://ourworldindata.org/coronavirus-testing) – os nossos números são péssimos!”, acrescenta.

“Nossos”?…Deles, sobretudo na zona de Lisboa e arredores, onde Governo e autarquias socialistas têm feito deplorável trabalho no controlo da pandemia e só se preocupam a passar as culpas para os jovens. Deles ou não, apanhamos por tabela, com enorme prejuízo para o nosso turismo e para a nossa economia. Nós sim, sem culpa alguma! Nós, os portuenses, nós os algarvios, nós os açorianos e sobretudo, NÓS, os MADEIRENSES, por maioria de razões pandémicas e geográficas!”, remata.