Campanha Ajuda Vale e Campanha Online angariam 23 toneladas de alimentos

Segundo uma informação do Banco Alimentar de de  acordo com os comunicados do Grupo Jerónimo Martins – Pingo Doce e Sonae –
Continente, foram doadas 19 toneladas de alimentos resultantes da campanha Ajuda Vale. Este número mais que duplica o anterior máximo nesta campanha (9 toneladas, em 2012) e fica muito próximo do total recolhido na campanha Saco de Maio do ano
passado (cerca de 20 toneladas).
Os produtos serão canalizados oportunamente para o armazém do Banco Alimentar da Madeira, que dará seguimento ao processo de distribuição gratuita às Instituições Parceiras.
Quanto à campanha Online, activa desde o mês de Março, através do site http://www.alimentestaideia.pt, foram atingidas quase 4 toneladas.

Sob o mote “Ajude a preencher este vazio”, a campanha Ajuda Vale decorreu em todas as lojas do Pingo Doce e Continente da Região, num total de 27, entre os dias 22 e 31 de Maio.

Para evitar potenciais contágios de COVID-19, as lojas disponibilizaram vales em suporte digital e em papel para uso exclusivo dos operadores de caixa. Todos os materiais de divulgação foram produzidos e afixados em locais chave pelas cadeias, a título gratuito (cartazes, autocolantes, separadores cliente seguinte).

“Os (as) operadores (as) de caixa assumiram o papel de voluntários do Banco Alimentar, contribuindo activamente para a divulgação da campanha aos clientes e convidando-os à sua participação solidária, a quem muito agradecemos, pois os resultados excederam as nossas expectativas”, refere o Banco Alimentar da Madeira.

Através da plataforma digital http://www.alimentestaideia.pt – Campanha Online, foram feitas doações, em cabaz ou em unidades de produtos essenciais (leite, arroz, massa, cereais, atum, azeite, feijão e grão), com resultados favoráveis.

Estas duas campanhas mereceram uma aposta reforçada e massiva, em termos de promoção e divulgação já que, por força das restrições derivadas da COVID-19, nomeadamente o distanciamento social, não foi possível a realização da campanha Saco, em supermercados, com a presença e participação habitual de voluntários.

Deste modo, foi lançado um convite aos Voluntários, Associados, Instituições e Empresas Parceiras, Órgãos de Comunicação Social, entre outros, para representarem o Banco Alimentar na qualidade de Embaixadores, no sentido de, através das suas redes sociais, amigos e familiares promoverem as campanhas e convidarem à doação.

Pela primeira vez, tendo em conta a expansão do uso das redes sociais durante o confinamento, e cientes do seu potencial de comunicação, foram convidados (as) -“influencers” da Região para, nas suas redes sociais, potenciarem as campanhas e a
informação diária no Facebook.

“Por nossa iniciativa, desafiámos igualmente as Instituições Parceiras a participarem num concurso de vídeo, com o objectivo de fazerem apelos à doação através das duas campanhas, e testemunharem a importância do Banco Alimentar da Madeira nas suas actividades. A Instituição cujo vídeo recebesse o maior número de “gostos “ seria premiada com um cabaz de alimentos adicional, proveniente de várias empresas parceiras do Banco Alimentar. A Associação Santana Solidária foi a grande vencedora e será contemplada com um cabaz adicional doado por Empresas Parceiras do Banco Alimentar”, refere o BA.

A Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, à semelhança das campanhas anteriores, remeteu os anúncios para TV e rádio, para além de vídeos de promoção nas redes sociais. A rede social Facebook foi um canal privilegiado nesta estratégia de comunicação,
tendo sido feitas várias publicações diárias com informações sobre as campanhas e apelo à mobilização dos cidadãos, bem como a dar conta da actividade diária e história do Banco Alimentar da Madeira, e o contributo em prol da comunidade ao longo destes quase 8 anos de existência. Como resultado, o crescimento do número de “gostos” na página do Facebook foi de cerca de 20% durante este período, o que representa uma adesão às dinâmicas que o Banco Alimentar utilizou para fazer passar a sua mensagem, conclui-se.

Por outro lado, foi feito um apelo às cadeias Continente e Pingo Doce, na sequência de reuniões com os seus responsáveis, para sensibilizarem os seus colaboradores, nomeadamente os operadores (as) de caixa, para serem, também eles próprios, voluntários do Banco Alimentar da Madeira e incentivarem os cidadãos a adquirir os produtos da campanha Ajuda Vale.

Entre os dias 22 a 31 de Maio, equipas de visitadores do Banco Alimentar da Madeira visitaram as 27 lojas aderentes em todos os concelhos, com excepção do Porto Santo, para ver no terreno a execução da campanha, conversar com os gerentes sobre os aspectos a melhorar, e também dar uma palavra de incentivo e agradecimento aos operadores de caixa, tendo sido aproveitado, igualmente, para divulgar a dinâmica das lojas nas redes sociais.

“A adesão a esta campanha foi uma extraordinária demonstração de solidariedade e confirmou, uma vez mais, que os madeirenses são solidários e estão sempre presentes nos momentos a que são chamados a ajudar. Para o Banco Alimentar os resultados excederam as expectativas. Em termos logísticos, estas campanha representaram um desafio à equipa do Banco Alimentar, na medida em que tivemos de direccionar a promoção para as redes sociais, potenciando a capacidade das mesmas. Toda a dinâmica envolvida para captar e mobilizar as Instituições a serem parte integrante da mesma, e maximizar o apelo à doação tiveram impacto nos
resultados”, refere-se.

Concluída esta fase, a ajuda não pode parar, e continua online através do portal de doação e da Rede de Emergência Alimentar até a situação ficar estabilizada.