PSD-M põe “água na fervura” e diz que o partido decidiu votar contra tudo para evitar aproveitamento político

Os deputados do PSD eleitos pela Madeira não estiveram presentes na votação de ontem que chumbou apoios às ilhas.

O PSD-Madeira emitiu há pouco um comunicado que surge um pouco para colocar “água na fervura” no chumbo, ontem, de uma proposta do CDS que visava apoios às ilhas num contexto de combate à Covid-19, esclarecendo que os deputados da Madeira não estavam presentes, mas acima de tudo porque o PSD decidiu votar contra tudo para não haver aproveitamento político nesta altura.

Este esclarecimento serviu, ainda, para dizer que o assunto apoios está a ser tratado entre governos, uma realidade que o deputado do PS Carlos Pereira, já tinha feito alusão quando  reagiu aos votos contra neste projeto do CDS. O PSD evita, assim, grande controvérsia num contexto em que os assuntos devem ser levados com alguma diplomacia e negociação, deixando as questões partidárias à parte.

Neste comunicado, o PSD esclarece que “atendendo às limitações ao funcionamento da Assembleia da República que decorrem do Estado de Emergência decretado para o país, em função da pandemia COVID-19, os deputados do PSD/M eleitos à Assembleia da República não podiam estar presentes nem participaram, ontem, aquando da votação do projeto de resolução do CDS/PP que recomendava, ao Governo da República, a adopção de medidas excepcionais para minimizar os efeitos negativos desta pandemia. Efeitos negativos para os quais os deputados do PSD/M, na defesa intransigente da Madeira de que não abdicam, já alertaram e questionaram, conforme tornado público, o Primeiro-ministro e o Ministro das Finanças, numa postura que é para continuar até que as pretensões da Região sejam atendidas”.

Esclarece, ainda, a nota social democrata madeirense que “a Direção do PSD a nível nacional decidiu votar contra todos os projetos de resolução que forem apresentados nesta altura e durante o período em que decorre o Estado de Emergência, por considerar que não é tempo de retirar dividendos políticos desta situação de calamidade para o país, nem para discutir meras recomendações ou resoluções ao Governo”.

Mais se informa que “o Governo Regional da Madeira está a trabalhar, juntamente com o Governo Central, no encontro de soluções, tanto nesta quanto em todas as matérias que são relevantes para a Região”.