Mistério: lugares de moradores que estão sempre cheios… estão agora vazios à noite, no Funchal

Há aspectos curiosos que a corrente epidemia do Covid-19 parece revelar, com a obrigatoriedade de confinamento e isolamento social em casa. Nomeadamente: há lugares de moradores (para os habitantes locais estacionarem os seus automóveis)… sem verdadeiros moradores. A conclusão, eventualmente um tanto apressada, do FN, pode justificar-se pelo facto de muitos moradores terem casas de campo. Ou então, muitos trabalharem à noite. É que, de outro modo, será difícil explicar que nas imediações da Escola Secundária Francisco Franco, no Funchal, haja zonas como a CR0618, onde há três lugares, na Rua das Hortas, que ficam completamente vazios durante a noite nestes tempos de pandemia.

Ou como a CR0087, na Rua do Carmo, onde parecem existir 11 lugares apenas para seis moradores. Ou então a CR 0575, na Rua Alferes Veiga Pestana, onde, para sete lugares, aparecem apenas três carros de moradores agora ali parados.

A observação do FN é pouco mais do que isso, uma observação, e até devidamente inscrita na nossa rubrica “Imagem”. Mas feita de forma repetida e a horas mortas. Ora, exercitando o raciocínio, pensamos nas hipóteses possíveis para isto, dado que aqueles lugares estão sempre repletos de carros. Ou a CMF atribuiu indevidamente licenças de morador para estacionar no centro do Funchal a quem de facto não mora no centro do Funchal. Ou, mais uma vez, todos aqueles moradores que faltam à noite são trabalhadores nocturnos. Ou então são abastados moradores com casas de férias fora do Funchal e que foram para as mesmas, deixando as suas moradas no centro, durante a quarentena. Ou então há simplesmente toda a sorte de pessoas que estacionam indevidamente naqueles lugares.

É que os mesmos, durante a semana, durante o dia e em circunstâncias normais, estão, regra geral, sempre cheios. E não com carros com multas no pára-brisas.

De qualquer modo, entre a eventual atribuição indevida de lugares pela Câmara e a ineficácia policial contra os prevaricadores que não exibem cartão de morador no pára-brisas (muitas vezes os verdadeiros moradores não têm lugar para estacionar os seus carros em lugares pelos quais pagam todo o ano à CMF) ficam algumas possibilidades interessantes a considerar por quem de direito. Achamos nós.