Assembleia da República aprova mais “estado de emergência”; Costa não vai admitir abusos nas relações laborais

A Assembleia da República aprovou hoje o prolongamento do “estado de emergência” proposto pelo Presidente da República, com votos favoráveis do PS, PSD, BE, CDS, e PAN, com abstenção do PCP e Verdes, Chega e Joacine Moreira. O deputado da Iniciativa Liberal votou contra.

O primeiro ministro António Costa disse que não renovar o estado de emergência seria dar uma mensagem errada e prometeu para a próxima semana uma decisão sobre o ano escolar e os exames.

Costa avisou, ainda, que o País não pode tolerar abusos nas relações laborais e na comercialização de bens. Também disse que devemos pensar na forma de viver depois, “quando sairmos disto”.

Com esta decisão, fica aberta a declaração do “estado de emergência” por parte de Marcelo. O novo período começa hoje à  meia noite.