Governo quer melhorar a operacionalidade do Aeroporto da Madeira CR7

Eduardo Jesus parlamentoO secretário regional do Turismo e Cultura abordou, no Parlamento Regional, a temática dos Transportes Aéreos, para dizer que “o Governo quer reforçar a cooperação com as entidades públicas e privadas envolvidas na operacionalidade do Aeroporto Internacional da Madeira – Cristiano Ronaldo, para conseguir uma melhoria na sua utilização e eficiência”.

Eduardo Jesus pretende “aumentar a oferta nas ligações aéreas com o território nacional e o estrangeiro, fortalecendo, desta forma, a economia regional” e quer ainda fazer cumprir, por parte do Estado, o princípio da continuidade territorial, sem discriminação, entre as Regiões Autónomas”.

De acordo com uma nota publicada no Facebook do Governo, o secretário regional definiu, para os próximos quatro anos, um conjunto de orientações estratégicas para o Turismo, para a Cultura, e para os Transportes Aéreos”. Eduardo Jesus afirmou que vão ser seguidas, “como sempre, com rigor e empenho, pois o nosso sucesso é o sucesso de toda a Região Autónoma da Madeira”.

Durante a apresentação do Programa do 13.º Governo Regional da Madeira, o governante referiu que este “é o momento de arregaçar as mangas e agir com determinação, no presente, para sermos consequentes no futuro”. Uma “verdade para o Turismo, para a Cultura, para os transportes aéreos, como é para toda ação governativa”, complementou.

Para o setor do Turismo, que representa entre 25% a 30% do VAB regional, mais de 16% do total do emprego na Região, que traduz mais de 20.000 postos de trabalho, referiu que algumas das orientações estratégicas vão assentar nos próximos quatro anos no reforço da promoção e da notoriedade do destino, na afirmação da diferenciação do destino por via da autenticidade e no aumento da satisfação dos turistas.

Além disso, entre muitas outras orientações, o Programa de Governo prevê consolidar os mercados existentes, conquistar novas origens e envolver mais operadores na atividade turística, fortalecer a cultura do “bem-receber” e igualmente inovar e modernizar a oferta.