Gigantismo do Savoy é “prego no caixão da hotelaria” madeirense, sentencia Gil Canha

O deputado Gil Canha, candidato do PTP às próximas eleições legislativas regionais, considerou hoje numa acção política realizada frente ao hotel Savoy que “Estamos à frente do templo da máfia no bom sentido do Dr. Alberto João Jardim”. Canha abordava a necessidade de se proteger a paisagem madeirense contra o “gigantismo” das infraestruturas hoteleiras.D

De acordo com Gil Canha, o Hotel Savoy “surgiu de uma marosca vergonhosa entre o Dr. Miguel e o Sr. Berardo (…) depois tivemos a marosca da falência do Banif, em que as pessoas que estavam atrás deste empreendimento safaram o seu, enquanto emigrantes perderam o seu dinheiro. O candidato Paulo Cafôfo também ajudou revalidando a licença (…)”, disse.

Para Gil Canha, empreendimentos como o do Hotel Savoy colocam em causa “as gerações futuras” da Região e provam que “existem privilegiados” na RAM.

O Savoy  “é um prego no caixão da hotelaria da madeira” e causará mais desemprego, porque põe em causa a paisagem da Madeira”, sentenciou.