Reformas antecipadas com penalização continuarão a ser possíveis

Vieira da Silva
Depois de tantas dúvidas, o esclarecimento: as reformas antecipadas com penalização continuarão a ser possíveis.

Segundo acaba de divulgar o jornal Público, “as regras de acesso à reforma antecipada vão manter-se no próximo ano e os trabalhadores com 61, 62 ou 63 anos de idade e 40 ou mais de descontos podem reformar-se mais cedo, desde que estejam dispostos a suportar Diz o jornal que a garantia foi dada pelo ministro do Trabalho e da Segurança Social, “agora confirmada no documento enviado aos deputados para preparar o debate na especialidade do orçamento da Segurança Social marcado para segunda-feira”

O memso jornal revela que “na nota enviada pelo gabinete de Viera da Silva, fica claro que as alterações previstas para 2019 têm como objectivo eliminar o corte do factor de sustentabilidade (que tira 14,5% ao valor das pensões antecipadas pedidas em 2018 e que em 2019 deverá ser maior) para os pensionistas que aos 60 anos têm 40 de descontos e antecipam a reforma. Quem não cumprir este requisito de idade e tempo de contribuições poderá pedir a reforma antecipada”.