Matthias Havinga interpretou Bach na igreja do Colégio no “arranque” do Festival de Órgão da Madeira

Fotos: Rui Marote

O pianista holandês Matthias Havinga iniciou ontem à noite o Festival de Órgão da Madeira, evento que se repete este ano pela nona vez. Com um programa inteiramente dedicado ao grande compositor do período barroco, Johann Sebastian Bach, Havinga fez soar o grande órgão da igreja do Colégio e encantou aqueles que assistiram. O Funchal Notícias foi encontrá-lo ainda ontem à tarde, quando o musico ensaiava já naquele instrumento de tubos de sonoridade tão característica, atraindo a atenção dos turistas que visitavam o vetusto templo e fazendo-os levantar o olhar para descobrir onde se encontrava o órgão e o seu intérprete.

O programa incluiu o “Prelude e a “Gavotte” da Suite inglesa nº 3 BWV 808, o conhecido Prelúdio e fuga em Dó maior BWV 545, a Sonata III em ré menor BWV 527, o Prelúdio de coral  «Nun danket alle Gott» BWV 657 (a 2 Clav. et Ped, Canto fermo in soprano), o Prelúdio de coral «Allein Gott in der Höh sei Ehr» BWV 662 (a 2 Clav. e Ped, Canto fermo in soprano, Adagio, e o Prelúdio e fuga em Mi bemol maior BWV 552.

Já hoje, o tema será o Romantismo em Inglaterra, num concerto que decorrerá a partir das 21h30 horas na igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, no Porto da Cruz. Este concerto, que será protagonizado pelo organista Sérgio Silva, conta ainda com a actuação da soprano Cecília Rodrigues e promete recriar as sonoridades que, em muitas Igrejas da Inglaterra – e também da Madeira – se ouviam durante o período do romantismo.

Até 28 de Outubro, o Festival propõe um total de onze concertos, em dez Igrejas/Conventos, envolvendo sete organistas numa viagem pelo repertório de seis séculos de música. Os concertos, com entrada livre e gratuita, terão lugar nos concelhos do Funchal, Machico, Ponta do Sol e Porto Santo.

João Vaz continua a ser o director artístico deste evento, que tem atraído críticas de certos sectores da Cultura regional, por não incluir nenhum intérprete madeirense nas consecutivas edições.

O Festival apresentará este ano um concerto no Porto Santo, pela primeira vez, e integra-se no âmbito mais vasto das comemorações dos 600 anos da descoberta do arquipélago.

Por outro lado, este ano o Festival de Órgão da Madeira integra, pela primeira vez, uma componente formativa e de interacção com a comunidade, na sequência do sucesso registado aquando da Festa do Vinho com o projecto “Danças com História”, estando programados três Master classes, gratuitos e abertos à população, com a presença dos organistas, que decorrerão no dia 20 de Outubro (entre as 9.00 e as 11.00 horas, na Igreja do Colégio), no dia 25 de Outubro (entre as 9.00 e as 12.00 horas, no Convento do Bom Jesus) e, finalmente, no dia 29 de Outubro (entre as 9.00 e as 12.00 horas, no Convento de Santa Clara).