“Nós, Cidadãos!” diz que repavimentação das ruas 5 de Outubro e 31 de Janeiro já foi adiada três vezes

O “Nós, Cidadãos!” critica, em nota enviada à comunicação social, as promessas e compromissos típicos das campanhas eleitorais, mas que depois não se realizam, ficando-se pelas boas intenções. É o caso, refere o partido, da repavimentação das Ruas 5 de Outubro e 31 de Janeiro, no Funchal.

A 7 de Julho do ano transacto, foi noticiado que as ruas 31 de Janeiro e 5 de Outubro “vão”, finalmente, voltar ao antigamente: “O Conselho do Governo Regional aprovou ontem (dia 6.07.2017) a resolução em plenário, num valor máximo novecentos e quarenta e cinco mil euros”, dizia uma notícia.

Ora, no passado dia 14 de Fevereiro de 2018, foi noticiado que a empreitada de repavimentação das ruas 31 de Janeiro e 5 de Outubro, no centro do Funchal, seriam adjudicadas na reunião de Conselho de Governo da Região, no dia seguinte (15 de Fevereiro).
Esta obra, que se previa custar 945 mil euros, abrange cerca de 1500 metros em cada uma das ruas paralelas acima nomeadas – nas margens da Ribeira de Santa Luzia, tem um prazo de execução de 90 dias, e já havia sido prometida para o Outono de 2017 (e depois
adiada), e esteve também para ser encetada em Março de 2018. Contudo, à data ainda nada se materializou, constata esta estrutura política.

“Neste meio-tempo passou-se o mês de Março, Abril, Maio e Junho e já estamos na segunda quinzena de Julho e, obras, nem vê-las”, fulmina o partido.

Também no dia 25 de Maio, um órgão de comunicação social noticiava que “as obras de repavimentação das ruas 31 de Janeiro e 5 de Outubro, entre a Ponte do Bazar do Povo e os Viveiros, terão início a 18 de Junho”, sendo que um outro diário regional noticiava, no dia 11 de Junho de 2018, que o Governo Regional “inicia a 18 de Junho a obra de pavimentação das ruas 31 de Janeiro e 5 de Outubro, entre a Ponte do Bettencourt e a Rampa dos Viveiros”, uma intervenção que vai também contemplar a recolocação das
buganvílias ao longo dos dois arruamentos e que tem a duração de três meses e far-se-á por fases, de modo a provocar o mínimo possível de constrangimentos no trânsito”.

O próprio secretário regional dos Equipamento e Infraestruturas, Amílcar Gonçalves, justificava este atraso das obras previsto para Abril/Maio, agora para 18 de Junho, pois era a altura em que quase todos os alunos já estão em férias escolares e o trânsito faz-se sentir com menor intensidade – “Se tudo correr conforme o previsto, a obra terminará antes do início do próximo ano lectivo”.

“Quem acreditou nesta promessa? NÓS, Cidadãos!, não”, dizem. O partido aponta um último facto: hoje, quinta-feira, dia 19 de Julho, 14h00, mais de trinta dias após a última data declarada pelo secretário regional dos Equipamentos e Infraestruturas, Amílcar
Gonçalves, para o início da empreitada de repavimentação das ruas 31 de Janeiro e 5 de Outubro, no centro do Funchal, e nada.

“Nada se iniciou e os funchalenses – melhor, todos os cidadãos da região – constatam que a promessa/compromisso deste Governo Regional já falhou (abortou) por três vezes. Será que à quarta tentativa é de vez?”, questionam.