“Nós, Cidadãos” critica promessas do GR em relação à linha ferry para o continente

O partido “Nós, Cidadãos!” surgiu hoje a criticar as promessas dos políticos, em campanha eleitoral, que depois não passam das palavras. “Não é aceitável que os políticos em campanha eleitoral prometam à população “mundos e fundos”, e após vencerem as eleições não honrem os compromissos assumidos e/ou os alterem (melhor, “prorroguem” no tempo ou mesmo os abandonem) em relação ao apalavrado antes do acto eleitoral”, reza um comunicado.
A promessa da ligação marítima – via ferry – entre a Madeira e o Continente é um bom exemplo do que um político não deve fazer, diz esta formação política. “O descontentamento em relação a esta promessa não cumprida, é hoje enorme na sociedade madeirense, como é verificável nas redes sociais mas também numa qualquer vulgar conversa de café”.

Hoje, dia 15 de Fevereiro, “dia em que termina(vam) os 40 dias para o procedimento concursal da linha ferry Madeira – continente nacional (sem a blindagem do concurso anterior e agora com os mesmos 3 milhões para subsidiar 14 semanas no Verão e duas viagens extra no fim de ano), um prazo e ‘condições’ fixadas pelo
Governo Regional liderado por Miguel Albuquerque e Pedro Calado – e já entretanto prorrogado – NóS, Cidadãos! questionamos: – Senhor vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, está ainda em condições de
garantir aos madeirenses e portossantenses que as suas declarações do dia 18.12.2017 “Uma coisa podemos prometer, e vamos manter essa promessa; no Verão do próximo ano, no Verão de 2018 teremos o ferry na Madeira”), estão hoje mais próximas da verdade ou, pelo contrário, ainda mais distantes dela?”

O partido recorda que as pessoas “estão já esgotadas de tentativas de concretização – e sucessivos adiamentos – de promessas que nunca mais deixam de o ser”.