Candidato do PDR acusa presidente da Junta do Estreito de Câmara de Lobos de falta de limpeza em vereda

 

LOGO ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS 2017

vereda
Vereda com falta de limpeza preocupa moradores.

Dinis Teles, o  candidato do PDR à Câmara Municipal de Câmara de Lobos, acompanhado de outros elementos da sua candidatura e de Alfredo Fernandes, candidato à Junta de Freguesia do Estreito, estiveram no Beco das Fontes/Travessa das Fontes, dando assim enfase ao lema da sua candidatura, “ Ouvir as pessoas e dar voz às pessoas” . Foi assim o primeiro dia de campanha.

O objetivo desta ação foi demonstrar aquilo que o candidato disse na altura da apresentação da sua equipa à Câmara, ou seja que “ o concelho tem muitas assimetrias entre os centros urbanos e as restantes localidades e nós viemos aqui hoje para demonstrar isso mesmo“, disse Dinis Teles. E o problema, neste caso concreto, “é uma vereda com falta de manutenção” e pode estar em causa “uma questão de saúde pública”

O candidato acrescenta que as queixas dos moradores vão no sentido de já terem feito “duas reclamações à Junta do Estreito até ao momento nada foi feito, nem os moradores tiveram qualquer retorno da sua reclamação, a última das quais feita em setembro“ .

Esta situação, segundo o candidato, corresponde à realidade do que se passa naquele percurso, mas também noutros pontos do concelho, onde “o turismo não circula e onde vivem poucas pessoas”. No entanto, diz que “estes eleitores são parte integrante do concelho e merecem o respeito dos eleitos”.

Dinis Teles ressalva que esta é uma vereda “ onde em alguns pontos está quase obstruída pelo arvoredo e mato e sem qualquer manutenção, dificultando a circulação dos moradores, alguns dos quais idosos que sentem dificuldades em ali passarem“. Para além disso o candidato do PDR adianta que “ os moradores estão também preocupados porque dado a falta de limpeza os ratos estão a invadir os terrenos, podendo tornar-se num problema de saúde pública“.

Neste mesmo percurso existe uma levada, conforme destaca o candidato do PDR, com cerca de 40 cm de profundidade sem qualquer proteção o que “ torna perigosa a circulação pelas pessoas mais idosas, que em caso de desequilíbrio se podem magoar sériamente“.