Cosmos denuncia “atentado na ribeira da Ponta do Sol” e questiona Susana Prada

Atentado BB
A Cosmos denuncia “atentado ambiental na Ponta do Sol.

A Cosmos – Associação de Defesa do Ambiente e Qualidade de Vida, denuncia, em comunicado, aquilo que considera ser “um grave atentado ambiental que continua a ser praticado por empresas de “construção” na Ribeira da Ponta do Sol”.

No documento, esta associação afirma já ter feito “várias queixas no MP e outras denúncias, mas seja a Secretaria do Ambiente seja a Câmara Municipal da Ponta do Sol continuam a fechar os olhos a este atentado, para não se falar da passividade do próprio MP. Aliás, não se compreende como é que a sra. Secretária do Ambiente, Doutora Susana Morna diz que irá ter tolerância zero com o despejo de inertes no mar e continua a aceitar que empresas de construção civil retirem diariamente toneladas de inertes do leito da Ribeira da Ponta do Sol, utilizando, inclusivamente maquinaria pesada, o que além de porem em perigo a Vila da Ponta do Sol em caso de chuvas intensas, o seu “esgravatar” continuo conspurca as águas desta ribeira que depois vão desaguar na frente-mar desta mesma vila, criando plumas de sedimentos na orla costeira, e provocando poluição na flora e fauna marítima”.

Imagem inertes
A Cosmos apresenta esta imagem da forma como era antes da intervenção.

Diz a Cosmos que “na ânsia de roubarem a pedra do leito da ribeira e suas margens, essas mesmas empresas destabilizam as vertentes sobranceiras a essa linha de água, cortam árvores, como tis e loureiros, e alteram e compactam o leito, e ao retirarem as grandes pedras e alisarem o fundo e os perfis laterais do curso de água, estão a aumentar a rapidez (cinética) das águas, e no caso de chuvas intensas irão provocar prejuízos a jusante, como aliás, já aconteceu junto da escola e da piscina municipal, em que num dos últimos invernos, a força das águas descalçou um dos muros de contenção da ribeira, provocando o desabamento dum segmento da estrada”.