Rubina Leal promete acabar com a derrama e devolver 8,6 milhões às empresas

foto LR

A candidata Rubina Leal disse que vai acabar com a derrama e devolver 8,6 milhões de euros a 1.100 empresas com sede no concelho do Funchal, durante os próximos quatro anos.

“Vou extinguir a derrama que o actual executivo camarário impôs desde 2013 e devolver 2,15 milhões de euros por ano às empresas e comerciantes funchalenses, num total de 8,6 milhões de euros durante o meu mandato”, prometeu a candidata social-democrata à CMF.

Com o fim deste imposto, considerou, as empresas poderão empregar mais pessoas, melhorar o nível salarial dos seus trabalhadores, ou até mesmo expandir os seus negócios criando mais empresas, mais postos de trabalho e gerando mais riqueza para a cidade.

“Quero uma cidade dinâmica, uma cidade geradora de riqueza que potencia o bem-estar das nossas populações”, referiu, lamentando a política seguida pelo actual presidente da Câmara do Funchal, que anunciou ter promovido 70 medidas para revitalizar o comércio local.

“É preciso questionar se o comércio local ficou a ganhar com este imposto da derrama, é importante questionar se os empresários ficaram a ganhar com o actual balcão do investidor que atende apenas 4 pessoas por dia?”, perguntou.

No entender de Rubina Leal, é ainda preciso questionar a actual vereação da CMF sobre a falta de limpeza e manutenção dos espaços públicos da Cidade, sobre a existência de animais roedores e animais errantes, sobre a iluminação e a sobre a sinalética colocada.

“Gostaria de saber como é que se consegue revitalizar o comércio local desta forma, quando aquilo que os comerciantes me falam e se queixam é de taxas, de entraves, de burocracia e de falta de limpeza urbana”, criticou.

Além de extinguir a derrama, Rubina Leal propõe-se promover a dinamização do comércio através de eventos, a “criação de um centro comercial a céu aberto” e, sobretudo, cumprir com aquilo que é da competência da autarquia, como a limpeza urbana e a iluminação da via pública.