João Noronha critica campanha eleitoral que entende como demagógica

O cabeça de lista à Assembleia Municipal de Funchal da coligação Funchal Forte, João Noronha, surgiu hoje a lamentar a campanha que actualmente está a ser realizada.

“Respeito a forma como cada candidato apresenta a sua campanha eleitoral, mas convenhamos que é demais tanta hipocrisia”, considerou. “Agora são todos leais ao concelho do Funchal. Medidas mil para tudo e mais alguma coisa. Uns porque cumpriram, baixaram o IMI quando deviam acabar com este imposto e porque fizeram orçamentos participativos, mas só não se sabe bem com quem. Outros querem uma cidade para todos, sejam idosos, crianças até para os turistas recordarem, mas já não era de todos? Quando estiveram longos anos à frente da câmara e que deixaram uma dívida astronómica e quem vier por trás que feche a porta, é agora que vão fazer tudo? Principalmente quem já lá esteve?”, questionou.

O candidato criticou ainda outros, que, disse, apresentam-se com programas meramente populistas na tentativa de ir buscar os votos com promessas pouco possíveis de serem realizadas.

“É isto que faz desacreditar cada vez mais a política e os seus intervenientes”, acusa. “Depois de quatro anos de mandato agora é que os cartazes estão expostos com todo o trabalho que será supostamente realizado e que algumas dessas promessas foram de 2013? Nota-se a cidade a mexer com obras, apenas porque estamos em plena campanha eleitoral. Como podem os cidadãos aceitarem este tipo de política demagógica e acabarem por ir votar?”, queixa-se.

Noronha refere que, para alguns partidos, a abstenção favorece-os. “No dia 1 de Outubro seria importante que os Funchalenses pensassem bem  porque votar sempre nos mesmos causa incúria e o trabalho é pouco, mas o rendimento financeiro de alguns é muito.”