Obra no Mercado Velho de Machico destrói azulejos

Fotos: Rui Marote

Historiadores e cidadãos estão nada menos que furiosos e indignados com a descaracterização do Mercado Velho de Machico, uma área histórica entretanto convertida num não menos histórico café. Metade dos azulejos do mesmo, ali instalados nos anos 20 do século passado, foram retirados, sem remédio para o futuro, no decurso de uma obra que ali se está a verificar, ainda por cima a cargo da Câmara Municipal de Machico.

Apesar de não se tratarem propriamente de pinturas flamengas, os azulejos, mesmo assim, eram, no entender dos historiadores por nós contactados, merecedores de interesse histórico e patrimonial e estavam associados à história de um café onde pontificou uma personagem notável, Maria Mendonça, também em tempos responsável pelo café ‘Pátio’, no Funchal, lugar de saudosas tertúlias culturais.

O Mercado Velho de Machico está inventariado no Património Arquitectónico da Região, pelo que os historiadores com quem falámos, no caso, Nelson Veríssimo e Emanuel Gaspar, não compreendem como se pode realizar um estrago destes. Emanuel Gaspar, responsável pelas actividades da Casa da Cultura de Santa Cruz e residente em Machico, entende mesmo que não se percebe como é que esta obra não foi “devidamente acompanhada por técnicos superiores” da autarquia machiquense, que poderiam ter evitado o que aconteceu.

O estrago dos azulejos apenas pode ser justificado, no seu entender, por “incúria e ignorância”, e é mais um exemplo de como “tudo continua a ser feito em cima do joelho”, não apenas em Machico mas na Madeira em geral. “Não há ninguém que supervisione”? Questiona-se. “Não sei como ainda hoje em dia, em pleno século XXI, ainda acontecem estas coisas”, lamentou.

Aparentemente, depois de terem começado a chover críticas, alguém da edilidade machiquense terá alertado os trabalhadores da obra para a situação, pelo que apenas metade dos azulejos foi retirada. Mas para essa metade, asseguram-nos, já não há remédio… naquele que foi o primeiro emblemático café de Machico.