Rápida intervenção da EMIR evita morte na estrada

Diagrama do local e das circunstâncias do acidente
Diagrama do local e das circunstâncias do acidente
*Com António Freitas

Um dos elementos do Funchal Notícias presenciou esta sexta-feira, pouco passava das zero horas, o resultado de um acidente rodoviário de graves contornos, que acabaram por ser menos graves graças à intervenção da EMIR. Um motociclista que circulava em velocidade moderada, segundo informações do condutor do veículo que o seguia, sofreu um grave acidente na estrada, de forma estranha, entrando em paragem cardiorrespiratória.

O sinistro aconteceu por volta da meia-noite, no Sítio das Eiras, Caniço, na ligação entre a Camacha e a Cancela, no sentido da Cancela.

O motorista do automóvel que seguia a moto disse que a moto “desapareceu na curva” à sua frente e que, quando se apercebeu, já o motociclista estava no chão, inanimado.

À frente da moto circulava uma carrinha da Via Litoral, que rapidamente sinalizou o local. Atrás seguia um outro automóvel e, para trás desse automóvel, o carro onde ia o elemento do FN.

A EMIR acorreu ao local do acidente, onde também esteve uma ambulância dos Bombeiros de Santa Cruz e a PSP, que restringiu o trânsito na área, de modo a evitar mais acidentes. Os serviços de emergência conseguiram reanimar o homem, que conduziram ao Hospital após ter sido estabilizado.

O sinistrado foi um homem na casa dos 40 anos de idade, que circulava numa moto supostamente potente. Entrou em paragem cárdio-respiratória momentos antes da chegada da EMIR. Uma vez reanimado, reagiu positivamente aos tratamentos, após o que foi transportado na ambulância dos Bombeiros santacruzenses, às Urgências do Hospital Dr. Nélio Mendonça.

Uma curiosidade: o médico que reanimou a vítima do acidente foi o anestesista Ricardo Duarte, recentemente autor de um desabafo sobre o estado da Saúde e do País, que foi partilhado e comentado por imensas pessoas nas redes sociais e que atraiu também a atenção de numerosos media, regionais e nacionais, para as condições do sector da Saúde e o desânimo que afecta os seus profissionais. Trabalhou, neste caso em concreto, presenciado pelo nosso elemento, de forma calma e assertiva.

À hora a que publicámos este artigo, o sinistrado encontrava-se no Hospital a aguardar os resultados de vários exames, nos Cuidados Intensivos, mas parecia livre de perigo. Permanecia em observação.