Grécia recua e aceita acordo dos credores com propostas de alteração

grécia-Tsipras
Primeiro Ministro Tsipras dá um sinal à Europa que procura acordo.

Depois do braço de ferro Grécia-União Europeia, eis que Tsipras dá um sinal de querer aceitar as regras dos credores, com algumas propostas de alteração.

Segundo tem sido divulgado pela imprensa internacional e o “notícias ao minuto”, Alexis Tsipras, primeiro ministro da Grécia remeteu ontem uma carta à Comissão Europeia, FMI e BCE a dizer que a Grécia “está preparada para aceitar o acordo dos credores”.

Mas a abertura política helénica implica algumas exigências. Tsipras pede um adiamento do aumento da idade da reforma, a vigorar a partir de outubro próximo. Por outro lado, aceita o aumento dos impostos de valor crescentado (IVA), mas propõe que seja efetuado um desconto de 30% para as ilhas.

Outra das exigências de Tsipras é a extinção gradual do apoio de solidariedade aos idosos até 2019, mas de forma mais faseada.

A despesa com a Defesa cai em 400 milhões, mas só a partir do próximo ano.

Com esta carta, fica posta de parte a possibilidade de a Grécia receber uma terceira tranche de ajuda monetária.

A agência Reuters refere que alguns pedidos de Atenas serão dificeis de aceitar, mas salienta que é quase garantido que se chegará a um consenso.