Prevenir comportamentos aditivos e dependências nas viagens de finalistas

DrogasOs finalistas preparam-se para a merecida viagem. Acontece todos os anos por esta altura em todas as escolas secundárias.

A data é particularmente propícia para chamar a atenção para os excessos que se podem cometer fora do olhar dos pais.

Com este propósito, mas não só, hoje à tarde, a partir das 19 horas, a escola da Apel, em parceria com o Clube Amigos do Basquete (CAB) e a Unidade Operacional de Intervenção em Comportamentos Aditivos e Dependências na Região (UCAD) promove um debate sobre a prevenção às drogas.

Aliás, a UCAD tem desenvolvido acções de prevenção contra as toxicodependências em várias áreas, desde as escolas a comissões de finalistas, instituições desportivas, famílias e até empresas.

Desde há três anos que a UCAD tem vindo a trabalhar com as comissões de finalistas, por causa das viagens que são feitas, em que, por vezes, há excessos.

À UCAD compete, designadamente:

  1. a) Assegurar a implementação da política regional de luta contra a droga, álcool e as toxicodependências, procedendo à sua avaliação nas áreas da prevenção, da redução de riscos e da minimização de danos;
  2. b) Definir as linhas de orientação técnica para a intervenção, o acompanhamento, a monitorização e a avaliação de programas e projectos nestas áreas;
  3. c) Implementar os programas, projectos e orientações técnicas definidas, a nível nacional e internacional, na área da prevenção dos comportamentos aditivos e diminuição das dependências;
  4. d) Promover a articulação interinstitucional e incentivar a participação das instituições da comunidade, públicas ou privadas, no desenvolvimento de acções de prevenção, de redução de riscos e minimização de danos e de reinserção social;
  5. e) Apoiar a comissão para a dissuasão da toxicodependência;
  6. f) Propor e apoiar acções de formação, no âmbito das atribuições do IASAÚDE, IP- -RAM, para a área da prevenção dos comportamentos aditivos e diminuição das dependências;
  7. g) Desenvolver e apoiar estudos de caracterização do fenómeno de consumo de substâncias psicoativas, de condutas aditivas e de dependências no âmbito regional;
  8. h) Proceder à recolha de informação em saúde junto dos serviços públicos e das entidades privadas, com intervenção nas áreas de consumo de substâncias psicoativas, de condutas aditivas e de dependências, de acordo com metodologias desenvolvidas;
  9. i) Proceder ao acompanhamento e avaliação da execução da estratégia regional de luta contra a droga e a toxicodependência;
  10. j) Proceder à recolha, tratamento e divulgação da informação e documentação técnico- -científica na área da prevenção dos comportamentos aditivos e diminuição das dependências;
  11. k) Apoiar acções para potenciar a dissuasão dos consumos de substâncias psicoativas.