PSD acusa JPP de desviar atenções enquanto aprova taxas de estacionamento

O PSD veio acusar o JPP de tentar desviar as atenções enquanto aprova novas taxas de estacionamento. Na última reunião da Câmara de Santa Cruz, os vereadores do PSD votaram contra a proposta do JPP que introduziu novas taxas em zonas específicas de estacionamento em Santa Cruz, Caniço de Baixo e Eiras Figueirinhas.

Substituindo Brício Araújo na reunião, a jovem vereadora Sara Correia justificou a posição do PSD com uma declaração de voto que considera esta medida “inoportuna e precipitada, uma vez que o actual Executivo vem impor mais uma taxa numa altura de grandes dificuldades, em que nos deparamos com um aumento significativo do custo de vida, sendo que é evidente que o JPP o faz sem a devida auscultação e ponderação, sem juntar ao processo os elementos que comprovam a propriedade dos espaços, em condições de legalidade duvidosa, criando situações de injustificada desigualdade e injustiça, sempre sem assegurar alternativas prévias adequadas para entidades e pessoas com especificidades atendíveis, designadamente pessoais, profissionais e laborais”.

Isto, reforça, “desconsiderando a posição assumida pelos munícipes que, em sede de audiência pública, manifestaram a sua oposição à medida”.

Sara Correia que, a este propósito, lamenta “a arrogância, a prepotência, a incompetência e a insensibilidade” do JPP que “nem sequer assegurou alternativas prévias adequadas para quem trabalha naquelas zonas e continua a não ouvir as pessoas e a desconsiderar a oposição manifestada formalmente por muitos munícipes”, assumindo a sua estranheza face à “postura ardilosa” do JPP, que “lançou para a comunicação social um tema judicial de 2012 para tentar desviar as atenções enquanto impunha novas taxas”.

A vereadora, à margem desta reunião, manifestou, ainda, a sua preocupação quanto ao futuro de Santa Cruz, criticando a falta de visão e de políticas concretas, por parte da Câmara Municipal, para a juventude.

“Infelizmente, o Executivo do JPP assenta as suas políticas na exploração da fragilidade das pessoas, não traz nada de novo e, tal como temos vindo a assistir, revela-se incapaz de apresentar medidas de relevo para a juventude, numa postura que o PSD repudia e à qual, enquanto jovem, não posso ficar indiferente, precisamente porque queremos mais e defendemos um futuro melhor e diferente para Santa Cruz, que não passa, apenas, pela distribuição de cabazes e de medidas minimalistas”, concluiu.