MPT acusa Pedro Calado de não querer desonerar as famílias

O MPT apresentou recentemente duas propostas na Assembleia Municipal do Funchal: transportes públicos gratuitos para sub23 pagos com o dinheiro poupado na substituição da iluminação pública por outra de menor consumo energético, e criação de apoios às pequenas cirurgias pagos com o dinheiro da derrama.

Ambas as propostas foram rejeitadas sem justificação pela coligação Funchal Sempre à Frente, queixa-se o partido.

“Por isso concluímos que para a Coligação Funchal Sempre à Frente é mais importante: 1) continuar a despender ineficazmente dinheiro da população em energia que desonerar as famílias em transportes públicos; 2) dar uma pequena parte dos lucros aos empresários que a saúde de nossos conterrâneos”.

“A população tem que perceber que a coligação PSD/CDS não zela pelos interesses dos cidadãos comuns; antes pelo contrário, zela pela manutenção do seu poder, zela pelos interesses dos grandes empresários, zela pelos interesses da Empresa de Electricidade da Madeira”, acusa o MPT.