Economia Social e Solidária esteve em debate na Junta de Freguesia de São Martinho

O auditório da Junta de Freguesia de São Martinho recebeu, na passada quarta-feira, a iniciativa «Somos Todos Economia Real – Os Desafios e Responsabilidades das Organizações da Economia Social e Solidária».

Ao todo, estiveram presentes cerca de 30 entidades de Economia Social e Solidária neste evento dinamizado pela Associação de Investigação e Promoção da Economia Social (AIPES) e pela Junta de Freguesia de São Martinho, com o objetivo de debater acerca do seu papel e dos principais desafios que enfrentam.

A abertura do evento contou com a intervenção da Secretária Regional, Rita Andrade, que começou por referir que se trata de um setor «muito caro ao Governo Regional, que tem vindo a assumir uma importância crescente, e um papel de relevo no domínio da ação social, ao disponibilizar uma pluralidade de respostas, complementares e diferenciadas, que atendem às especificidades e necessidades da população», observou a governante, referindo ainda que «os desafios da atualidade, com a globalização, clamam por uma Economia Social e Solidária que conte com a participação ativa de todos, e envolva os vários setores da sociedade. E daqui resulta o importante papel que todos os que estão hoje aqui presentes neste encontro têm na sociedade atual, assumindo uma importância decisiva na defesa da igualdade e de uma sociedade mais justa».

«Em nome do Governo Regional, quero enaltecer e reconhecer o importante papel das organizações da economia social e solidária, que têm sido verdadeiras parceiras em muito momentos, na prestação das mais variadas respostas sociais», concluiu.