CMF aprova suspensão de Margarida Pocinho por 120 dias

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) aprovou hoje o pedido de suspensão de mandato da vereadora Margarida Pocinho, por 120 dias. Até 4 de Agosto, período em que se encontrará de baixa médica, a engenheira, Cristina Isabel Costa, fará a substituição, sendo esta que estava  indicada pelo CDS na coligação ‘ Funchal Frente à Sempre’,  a seguir da lista. A informação foi adiantada pelo presidente da autarquia, Pedro Calado,  no final da reunião semanal do executivo.

Foi também deliberado prorrogar o prazo da conclusão das obras do edifício- Centro Cultural e de Investigação do Funchal, mais conhecido por edifício do Matadouro.  A obra, que estava para ser concluída em 31 de Março foi adiada para 24 de junho.

Pedro Calado explica que este adiamento se deve ao pedido feito pelos fornecedores para concluir  o sistema de iluminação no interior do edifício.  Uma obra que, na opinião de Pedro Calado “não estava bem planeada desde o inicio em termos de conclusão e, atendendo agora à grande dificuldade de fornecimento de materiais, pediram o adiamento de 90 dias, para  concluir a obra  , não implicando qualquer revisão de preço”.

Chumbado, por outro lado, foi o programa de comemorações do 25 de Abril apresentado pela coligação ‘Confiança’, uma vez que, segundo esclarece Pedro Calado, já era do conhecimento que, a CMF tinha já um programa preparado para assinalar a data.

Um dos pontos fortes da comemoração da “Revolução dos Cravos” promovida pela autarquia chama chama-s“25 de Abril: Entre Gerações”. Este é um encontro-conferência de várias gerações, que se realizará no próprio dia 25 de Abril, pelas 10:00, na sala da Assembleia Municipal.

O encontro conta com a participação de David Caldeira, de 74 anos, engenheiro químico e gestor hoteleiro, Paulo Rodrigues, 51 anos, professor universitário, Cristiana Nunes, 23 anos, enfermeira e actriz, e a jovem estudante Júlia Nóbrega, 17 anos. O objectivo, explica Pedro Calado, passa por perceber, ouvindo todos os intervenientes, o que “representa a liberdade e a democracia” e transmitir o legado para as gerações vindouras.

Assim, refere Pedro Calado,  autarquia propõe-se  fazer este ano uma celebração dos 48 anos do 25 de abril de 1974, em moldes diferentes daqueles que vinham sendo hábito na Câmara. “Nós pretendemos uma celebração aberta ao público, uma conversa franca, sem qualquer conotação partidária”, afirmou.

No programa da celebração  consta a realização de dois concertos musicais e,  com a participação de  músicos madeirenses,” mas esses momentos musicais, ao invés de se estar a pagar para vir artistas do continente para a Madeira para fazerem concertos, optámos por dar voz a artistas madeirenses”, defendeu.

As comemorações do 25 de Abril começam já no dia 23, pelas 20:00, com um concerto e  reportório de Abril, da Orquestra  de Cordofones, no auditório do Jardim Municipal. Esta será a primeira actuação ao vivo da recente criada Orquestra de Cordofones, com cerca de 30 jovens músicos, sob a direcção do professor e músico, Roberto Moniz. Este concerto marca igualmente o regresso dos eventos ao ar livre no Auditório do Jardim Municipal, após a requalificação e obras de manutenção do espaço.

O terceiro momento do programa municipal de comemorações do 25 de Abril será um concerto de Mariana Camacho, no Museu A Cidade do Açúcar, no dia 29 de Abril, às 19:00.