Sindicato indignado com “desconvocação” da greve

A delegação da Madeira da Direcção do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas veio saudar todos os trabalhadores que, “mesmo intimidados e coagidos no seu direito à greve”, optaram hoje por aderir a esta jornada de luta, “demonstrando a sua determinação na exigência da valorização do trabalho e dos Trabalhadores e o reforço dos serviços Públicos e das Funções Sociais do Estado”.
O Sindicato esclarece que os trabalhadores lutam por aumentos salariais dignos, valorização de todas as carreiras, melhores condições de trabalho, e por garantir uma avaliação que não sirva para castrar o direito à progressão salarial.
Num momento em que se anuncia crescimento económico de 4,8% para 2021 e a previsão de 5,4% para 2022, não é aceitável que os salários se mantenham estagnados, entende a estrutura sindical.
“Ao mesmo tempo que da parte do governo, saem anunciados milhares de milhões de “investimento”, tentando criar a ilusão de que se está a trabalhar para resolver problemas estruturais do País, continua, na prática, uma política que não altera uma vírgula à vida dos trabalhadores que asseguram o funcionamento dos serviços públicos, limitando a capacidade de resposta dos mesmos e ficando muito longe de resolver os problemas estruturais que o País enfrenta”, justifica-se.
“Neste dia de luta não podemos deixar de repudiar comportamentos lesivos do direito de cada trabalhador, livremente e informado de aderir à greve”, nomeadamente da parte das chefias que, “de uma forma ostensiva, quer através de email, quer oralmente informaram da desconvocação da greve”.
O Sindicato esclarece que manifestou às Secretarias Regionais e aos Conselhos de Administração, a sua indignação, por e-mail, do seguinte teor:
“Data: 11 de Novembro de 2021 as 14:50
Assunto: GREVE 12 DE NOVEMBRO DE 2021 NÃO FOI DESCONVOCADA
 EXMOS SENHORES,
Boa tarde.
 Solicitamos a divulgação da presente informação nos mesmos moldes em que foi divulgada a informação errada da alegada desconvocação da Greve de amanhã.
Com efeito, as diligencias efectuadas por Vexas não só não correspondem à verdade como procuram desinformar os trabalhadores.
Não podemos deixar de repudiar tais comportamentos lesivos do direito de cada trabalhador livremente e informado de aderir, ou não, à greve de amanhã.
Assim, solicitamos a divulgação desta informação nos exactos termos em que a alegada desmarcação da greve foi feita, sob pena de podermos estar na presença de um comportamento ostensivo e discriminatório, que coloca, ainda, em causa o direito a uma informação correta.
 Caso tal não se verifique não deixaremos de retirar as devidas consequências nem deixaremos de agir em conformidade junto das entidades competentes para que a verdade seja reposta.
Reafirmamos assim, que amanhã dia 12 é dia de luta dos trabalhadores da Administração Pública, nomeadamente dia de greve de 24 horas.
Funchal, 11/11/2021
O Coordenador da DRM
Nelson Pereira
Tlm 911793210”.