Palestras alertam amanhã para o AVC, a propósito do Dia Mundial

No âmbito do Dia Mundial do AVC, e perante este grave problema de saúde pública, a equipa de saúde da Unidade de AVC pretende comemorar esta efeméride, no dia 29 de Outubro, através da realização de palestras, dirigidas a populações específicas, nos seguintes locais:

– Associação Câmara de Lobos do Jardim da Serra, dirigida aos utentes frequentadores do espaço de tempos livres, das 10:00h- 11:00h.

– Auditório do Arquivo regional, das 18:00h – 19:00h dirigida ao Grupo de ajuda mútua (GAM) de sobreviventes de AVC, e / ou de familiares / cuidadores / amigos, tendo sido uma temática de interesse já identificada pelo respectivo grupo.

A reunião do GAM terá o seguinte programa:

-Acidente vascular cerebral: conceito e tipos de AVC;

-Factores de risco vascular;

-Reconhecimento dos Sinais de alerta de AVC e actuação perante uma suspeita – Enfermeira Arlinda Oliveira;

-Medidas preventivas no AVC- Enfermeira Arlinda Oliveira.

A criação do GAM-M foi apresentada em 2020 no Dia Mundial do AVC, a 29 Outubro, pelo presidente da Portugal AVC, António Conceição.

O GAM-M realiza sessões de apoio a pessoas que “têm em comum um problema de saúde e/ou que viram as suas capacidades (motoras, comunicativas, sensoriais, cognitivas, ou outras) afectadas em consequência de um AVC e que se reúnem para partilhar a sua situação e sentimentos”.

As reuniões são realizadas mensalmente.

Podem ser encontradas mais informações da Portugal AVC em: www.portugalavc.pt

O Dia Mundial do AVC, assinalado anualmente pela Organização Mundial de Saúde constitui, uma oportunidade para a realização de acções de formação junto da população em geral, no sentido de sensibilizar e informar quanto à caracterização, o reconhecimento dos sinais de alerta, a forma de atuação perante uma suspeita de AVC, os factores de risco para o aparecimento do AVC e a prevenção primária e secundária. Actualmente pode dizer-se que o AVC é prevenível e tratável.

Previne-se o AVC corrigindo os fatores de risco e reconhecendo os seus sintomas, considerando-o uma Emergência o que subentende o recurso à chamada imediata do “112” que através da Via Verde para o AVC conduzirá o utente a um Hospital que disponha de Unidade de tratamento da fase aguda, ou seja, uma Unidade de AVC.

Para evitar um novo acidente terá que tratar as causas que deram origem ao primeiro, o que passa por medidas terapêuticas medicamentosas e de mudança de comportamento no estilo de vida.

O AVC continua a ser uma das principais causas de mortalidade em Portugal, sendo também a principal causa de morbilidade e de potenciais anos de vida perdidos no conjunto das doenças cárdio e cerebrovasculares.

Caracteriza-se por um défice neurológico súbito, motivado por isquemia (deficiência de irrigação sanguínea) ou hemorragia no cérebro. Tem um impacto significativo a nível funcional, cognitivo e social da pessoa, com implicações na dinâmica familiar. A pessoa, antes autónoma, pode tornar-se, de um momento para outro, totalmente dependente a nível físico e financeiro dos seus cuidadores / familiares ou de instituições de apoio.