Mafalda Gonçalves defende incentivos à fixação de empresas e apoios à agricultura e pecuária

Revitalizar o setor primário, com apoios à atividade agrícola e à pecuária, é um dos propósitos da candidatura do Partido Socialista à Câmara Municipal de Santa Cruz, que vê nesta aposta também uma forma de fazer crescer outras áreas de negócio, como a transformação de produtos e, consequentemente, uma maior criação de postos de trabalho.

A proposta foi avançada por Mafalda Gonçalves, hoje, na sequência de uma visita efetuada à empresa ‘SantoQueijo’, situada na freguesia do Santo da Serra, que se dedica à transformação do leite e à produção e comercialização de produtos derivados, nomeadamente queijos, alguns dos quais com a introdução de ingredientes à base frutos e outros produtos, numa aliança entre a tradição e a inovação.

Na ocasião, a candidata à presidência da autarquia santacruzense deu conta que uma das razões para o abandono da agricultura e da pecuária na Região é a falta de valorização do produto regional. Por isso, considerou fundamental a existência de empreendedores e agentes económicos com capacidade financeira e visão, que aproveitem os produtos primários e lhes acrescentem valor, aumentando de alguma forma a sua qualidade e atratividade, precisamente aquilo que faz a ‘SantoQueijo’.

“Estas pequenas indústrias que valorizam os produtos agrícolas e pecuários promovem não só o emprego, mas também a ocupação sustentada do território, incentivando novos produtores, mantêm a paisagem agrícola tradicional, minimizam os riscos do abandono dos campos, nomeadamente os incêndios, e promovem a diversificação da economia agrícola”, salientou Mafalda Gonçalves.

A candidata entende, por isso, que estas empresas devem ser apoiadas pelas autarquias, sobretudo nos concelhos com uma forte componente rural, como é o caso de Santa Cruz, que também “já acusa os males do despovoamento”, nomeadamente no Santo da Serra, que em 10 anos perdeu mais de 10% de população.

Como tal, Mafalda Gonçalves pretende criar medidas de apoio que levem as empresas a se fixarem, a se manterem e a se expandirem no concelho e, com isso, ajudar indiretamente os produtores pecuários e os agricultores, ao mesmo tempo que se promove a criação de emprego.