Tectos mudéjares restaurados permitem uma nova visão da Sé do Funchal

Foto: Rui Marote
Por enquanto ainda não estão completamente removidos todos os obstáculos à visão, mas pode afirmar-se que já pode ser, finalmente, apreciada a verdadeira beleza dos tectos mudéjares da Sé do Funchal.
Conforme salienta, num comentário ao FN, o historiador Nelson Veríssimo, aguardava-se há muito a sua recuperação.
“Nos últimos anos, as intervenções na Sé, principalmente o restauro de pinturas, do altar-mor e dos tectos, devolveram a este monumento nacional a grandiosidade, que a inclemência do tempo, a incúria, a acção dos insectos xilófagos e a acumulação de sujidade tinham ocultado”, salienta o estudioso.
“Dos tectos, quase se poderia dizer que saíram das trevas. Agora, o desenho e a cor surpreendem e cativam.  A Sé ganhou cor e vida, afinal aquilo que possuía, e nós não conseguíamos apreciar”, realça.
Para Nelson Veríssimo, “se, por um lado, este restauro permite uma outra imagem da Sé e uma dignidade excepcional, por outro impõe maiores responsabilidades para com este monumento nacional, sobretudo, o fim das velas tradicionais das promessas – já implementado – e o respeito pelo acervo existente, evitando a introdução de elementos estranhos que destoam e prejudicam a leitura do património da Catedral”.