“Chega” propõe adaptação dos espaços públicos da freguesia para maior acessibilidade

A candidata do CHEGA à presidência da Junta de Freguesia do Caniço, Maíza Fernandes, propõe a realização um projecto de adaptação dos espaços públicos da freguesia, visando a acessibilidade à todos os portadores de necessidades especiais de locomoção (deficientes físicos e visuais, idosos, gestantes, mães com bebés e carrinhos de bebés).

As ruas do Caniço não estão adaptadas para receber essas pessoas e o objectivo é proporcionar a utilização de maneira autónoma, independente e segura dos ambientes, edificações, equipamentos urbanos e elementos, à maior quantidade possível de pessoas, independentemente de idade, estatura ou limitação de mobilidade ou percepção.

A candidata alerta para as dificuldades encontradas nas estradas. A grande maioria dos acessos públicos, bem como os estabelecimentos comerciais, não estão em conformidade com os critérios e parâmetros técnicos a serem observados quanto ao projecto, construção, instalação e adaptação do meio urbano e rural e de edificações, às condições de acessibilidade.

Outra preocupação é com o transporte público que atende ao Caniço, e que não realiza o transporte de pessoas em cadeira de rodas, por não utilizar autocarros adaptados, sendo os utentes obrigados a recorrer aos horários do Funchal, mas somente com agendamento prévio e sempre a partir da paragem que fica na Cancela.

“A Sra. Maria do Carmo, portadora de deficiência física, residente no Caniço, relata que as casas de banho públicas e de vários estabelecimentos comerciais não são adaptadas, muitas vezes sequer consegue entrar ou passar nas portas, as portas das lojas comerciais, bancos e prédios públicos como a casa do povo, possuem degraus, o que impossibilita seu acesso, sendo que para adquirir algum produto ou resolver alguma questão precisa da boa vontade de pessoas que possam levar os produtos até ela ou chamar o atendente do banco até a rua”, refere o comunicado do Chega.

“Relata também que as paragens de autocarro são de difícil acesso, os passeios são estreitos, assim como muitas rampas que estão em péssimo estado e não tem espaço suficiente para as cadeiras de rodas. Em muitas estradas do Caniço é obrigada a andar pela via, correndo risco de acidentes com os carros que por ali passam”, concretiza o “Chega”, cuja candidata propõe a elaboração de um projecto em conjunto com a Câmara Municipal de Santa Cruz, de reestruturação para a adaptação das vias públicas da freguesia para garantir a acessibilidade, bem como a criação de um incentivo fiscal aos empresários que realizarem obras de adaptação em seus espaços, garantindo a acessibilidade aos portadores de necessidades especiais residentes no Caniço, bem como garantir aos turistas, também portadores de necessidades especiais, uma maior independência durante a sua estadia na cidade.