Helena Freitas critica São Vicente e as declarações de Miguel Albuquerque

A candidata socialista à Câmara Municipal de São Vicente não esconde a estupefacção em relação às declarações do presidente do Governo Regional sobre o crime ambiental praticado no sítio das Ginjas.

“O que foi detectado em São Vicente não é um problema jurídico. É um atentado à saúde pública e um crime ambiental que exige que sejam identificados responsáveis, mas que tem de ter consequências também no Governo Regional e na Secretaria Regional do Ambiente”, afirma. “Não é possível ter esta postura de sacudir responsabilidades e, pior ainda, esta dificuldade recorrente em lidar com o escrutínio próprio da vivência democrática. O PS vai continuar a fazer o seu papel de denunciar situações como esta e não vai abdicar de usar todos os seus recursos para defender as pessoas e para o apuramento das responsabilidades, jurídicas e políticas. Doa a quem doer”, afirma Helena Freitas.

Por outro lado, diz que o executivo da Câmara Municipal de São Vicente “acaba de dar mais uma mostra que tem as prioridades invertidas e não se preocupa em resolver as reais necessidades da população” A candidata do PS à presidência da Câmara Municipal do concelho critica o que considera ser “a teimosia de José António Garcês e o seu desespero para apresentar obra feita”, numa reacção à notícia publicada esta quarta-feira no Diário que alerta para os perigos resultantes do projecto da autarquia para a requalificação da frente mar.

“A autarquia não pode ignorar os perigos inerentes à requalificação da frente mar identificados no Estudo de Impacte Ambiental. Em momento algum se pode colocar em causa as pessoas, os negócios, a escarpa, os terrenos e as habitações com uma intervenção com esta dimensão e avultado investimento associado”, aponta a candidata socialista.